Anatomia estudantil sobre a mesa.
Já era o último ano de escola e nada havia acontecido entre eles. Não, ainda...
Bento era um professor de Física que parecia ser um chato sistemático, mas que desde o primeiro dia despertara o interesse de Lívia.
Nada havia acontecido, mas naquele dia ela tomou a decisão de fazer o que fosse necessário para tê-lo. Após a aula, dissera que tinha algumas dúvidas na matéria a fim de prender a atenção dele.


A blusa, ligeiramente transparente, deixava à mostra seu nervosismo e excitação. Seus cabelos negros até a cintura, davam-na um ar jovial e atrevido que desviava a atenção dele dos problemas e o fazia levar seu olhar até ela.
Pronto, ele estava fisgado e assim seria mais fácil para Lívia atingir seu objetivo, saindo daquela sala livre e tranqüila. A agonia tomava conta dos dois corpos e em meio às palavras foi se formando uma aura misteriosa.


Lívia para de falar e olha para Bento com firmeza. Ele se percebe observado e leva o olhar até ela, se assustando com o que poderia acontecer. Ela vai até a porta e a tranca enquanto ele ainda olha espantado. Tira a blusa, caminha e senta de pernas abertas de frente para ele. Bento parecia não estar acreditando no que estava vendo, mas estava no seu local de trabalho e aquilo poderia trazer problemas. Resolveu não pensar, apenas agir.


Lívia o abraça com toda força colocando o rosto dele contra seu peito e ele a segura pela cintura com força sentindo sua respiração e batimentos acelerarem. A adrenalina estava nas alturas e o tesão estava quase explodindo dentro de Bento. Rapidamente ele a pega no colo e a posiciona sentada em cima de si, beijando-a e apertando seus seios. Ela se ajeita sobre ele abrindo ainda mais as pernas, pegando no pau dele e apertando, fazendo-o sentir ainda mais prazer. Ele coloca um dedo na boca, puxa a calcinha dela para o lado e enfia dentro dela, sentindo aquela umidade fabulosa que desconcentra qualquer homem.


Como um selvagem ele se levanta com ela no colo, pressionando-a contra o quadro-negro e arrancando sua calcinha com rapidez e força. Ela se revira, enlouquecida e tesão, prendendo ainda mais suas pernas na cintura dele e puxando com força contra si. Bento encaixa e a penetra sem querer saber de nada, deslizando dentro dela forte, seguro e cheio de vida.


Por um momento ele pensou por que não havia cedido aos encantos daquela bela jovem antes, e ela, por que não tomara uma atitude antes. Segurando-a por aquela bunda grande e macia, movimenta para cima e para baixo, enlouquecendo e fazendo enlouquecer. Bento a coloca no chão virando-a de quatro e a fazendo se apoiar na mesa enquanto mete gostoso até o fundo e desesperadamente. Ele a xinga, puxa seus cabelos, bate em sua bunda e goza deliciosamente, enquanto o sinal toca e Lívia acorda na sala de aula de um sonho que na verdade era um desejo.


Naquele último ano de escola, o desejo aumentava, mas nada tinha acontecido, não ainda. Após aquele sonho, tudo seria diferente.
- Professor Bento, você poderia ficar alguns minutos para me tirar algumas dúvidas, após a aula?
- Claro, Lívia. Eu estou com um pouco de pressa, mas dúvidas, são dúvidas...


Marcadores: 3 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
DEVANEIOS COMENTADOS IV- MASTURBAÇÃO
Tem gente que não consegue ficar um dia sem se masturbar. Eu, para falar a mais pura verdade, não vejo a menor graça nisso, a não ser quando feito em mim por outra pessoa, mas aí perde a característica de masturbação bla bla bla blu blu blu...


Embora eu tenha boa imaginação para essas coisas, nunca fui bom em imaginar nada enquanto me toco. Não vejo graça, sei lá. Acho muito mais interessante que alguém faça em mim, afinal, o prazer é algo espontâneo e quando se deve ter algum trabalho para obtê-lo sozinho, já não me apetece.
Não gosto de fazer, mas gosto que façam. Observar é bom, excita, despeta curiosidade e aguça os sentidos.


Conheço mulheres que só chegam ao "limiar de excitabilidade", como dizia um professor meu, quando se tocam. Acho isso disfunção neurológica ou um egocentrismo fodido. A pessoa tem que ser muito ligada nela mesma para ser assim. Enfim, acho masturbação desnecessária, a não ser para aqueles que estão se conhecendo e não sabem ainda do que gostam, como gostam, etc.
Respeito a opinião de cada um, afinal, do que seria o branco se todos gostassem do vermelho?
Mesmo assim, deixo aqui a minha dica. Ao invés de ficar no banheiro sozinho se tocando, chame alguém para observá-lo ou tomar banho com você. Utilize de sabonetes, velas, sais de banho, tudo o que te chamar atenção. Brinque, pois o sexo não passa de uma grande brincadeira com tom de seriedade e confundido com outras coisas.


Falando em seriedade e confusão, queria entender por que as pessoas têm a mania de misturar o sexo com outras coisas. Não me refiro a apetrechos, mas a assuntos. Misturam a amizade, amor e outros assuntos. Sexo é sexo e pronto!


Acho que as duas coisas que mais atrapalham o sexo são a amizade e o amor. Por exemplo, tem mulher que diz que não transa com amigo porque é amigo e vai atrapalhar a amizade, ou então que quando está amando não faz sexo e sim amor. E quando o marido tiver com vontade de trepar? Faz o que? Não faz né? O grande problema está na confusão de sentimentos. Sexo é sexo, amor é amor e amizade é amizade! Nenhum deles atrapalha o outro quando dosados na medida certa e eles não precisam NECESSARIAMENTE coexistir para ser prazeroso. Pode sim haver um sem o outro e o outro sem um.


Os sentimentos se confundem e aí gera o conflito. De quem é a culpa? Do sexo? Das mulheres? Ou dos homens? A culpa é dos serem humanos que exploram o sexo sem estarem preparados para ele. O dia em que os humanos souberem separar tesão de tensão, seja ela qual proveniência tiver, o sexo evoluirá para como ele realmente deve ser, sublime, prazeroso e despreocupado!


Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
DEVANEIOS COMENTADOS III- ABSTINÊNCIA E PROMESSAS
Essa semana as idéias estão fervilhando em minha mente. Não sei o porque, mas acho que é por conta de tanto tempo sem sexo. Ah, havia me esquecido de comentar...

O real motivo pelo qual comecei a escrever foi a abstinência. Sério, mas não ria de minha pessoa, pois já estou há mais de quatro meses sem sexo por conta de uma promessa que hoje me parece ridícula. O motivo não vem ao caso, mas acho que isso já é castigo suficiente.

A abstinência mexe com a cabeça do ser humano, apesar de estar tendo um lado bom, pois já que não posso fazer, venho estudando o assunto. E quando digo estudando, é estudando mesmo! Tenho lido sobre sexo tântrico, animal, a influência de fatores externos e até sexo mental ( se é que ele existe). Além de ler, tenho conversado sobre o assunto com pessoas experientes e inexperientes.

O ponto é: Pode o sexo ou a falta dele virar a cabeça de alguém? Pois a minha está virada para o bem, pois estou transformando parte da minha energia sexual em outras atividades, pois parte está sendo acumulada para o grande dia, mas alguém pode realmente cometer loucuras por conta do sexo?

Mas agora mostrarei um pouco do meu lado cético com relação ao ser humano, dizendo que eu acho praticamente impossível que alguém já tenha ficado muito tempo sem sexo, que não fosse por vontade própria ou problemas de saúde. Sempre há um louco querendo trepar e esse louco sempre encontra alguém que compartilhe de seu desejo. Eu, já estou há um tempinho sem...vamos ver até quando conseguirei ficar sem cometer nenhuma loucura!

Marcadores: 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
DEVANEIOS COMENTADOS II - ABSOLUTISMO = LIMITAÇÃO
O livro que eu comentei que estava lendo está mexendo com a minha cabeça. Em uma dessas passagens o autor diz: " Heterossexualismo absoluto: limitação. Homossexualismo absoluto: limitação." Não me lembro ao certo o que ele diz sobre bissexualismo, só sei que ele aprova.

Acho que no fundo, após pensar bastante concordo com ele. Preste bem atenção, eu não sou gay, apenas acho que todo tipo de experiência que possa acrescentar algum tipo de sabedoria ao ser humanao é bem-vinda!
Porra, fazer o que? Tem gente que gosta de ficar de quatro e tem gente que gosta de ficar atrás de quem está de quatro. Prefiro me abster de comentar onde prefiro estar, mas o que afirmo é que tem gosto para tudo!
Homens, em geral, sentem um puta tesão em ver duas mulheres juntas, mas há também aquelas mulheres que sentem tesão nisso, assim como tem os homens que sentem loucura ao ver um homem enrabando outro.

The question is: Por que ainda hoje existem pessoas preconceituosas em relação ao sexo? Porque você provar e não gostar é uma coisa, mas você não provar, não saber se gosta e ainda assim afirmar que não gosta de algo que nunca fez é outra.
Isso me lembrou a história de uma prima que nunca havia comido camarão e ainda assim dizia para todo mundo que não gostava de camarão. Comeu a primeira vez e adorou. Hoje em dia come que é uma maravilha! Mas ela assumiu, porém, a hipocrisia e o sensacionalismo são tão grandes quando se trata de sexo, que eu sou obrigado a dizer aquele velha frase, quem nunca teve desejos secretos e pervertidos, que atire a primeira pedra!

Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
DEVANEIOS COMENTADOS I- DE SACO CHEIO
Essa semana eu acabei de ler um livro maravilhoso. Diga-se de passagem que demorei quase um mês para lê-lo pois estava sem tempo e sem saco.
Para quem reparou, fiquei até mesmo sem postar os contos, pois andava sem saco até para isso, mas, voltemos ao ponto alto do comentário.

Lendo tal livro, cheguei a confirmação de alguns pensamentos que vinham amontoando minha cabeça já há algum tempo - MULHER É TUDO PUTA!! - com o perdão da palavra e sem querer ofender as mulheres. Antes de qualquer coisa, deixe-me explicar.

Quando digo puta, não o digo no real sentido da palavra como as mulheres que cobram por sexo- e sem mesmo me desfazer delas, pois acho a prostituição uma profissão comum e honrada - mas me refiro ao sentido de depravação. Me refiro ao fato de toda mulher se negar até a morte a fazer uma coisa, relacionada e sexo é claro, mas mesmo assim ter uma vontade arrebatadora de fazê-la. E quando digo arrebatadora é de verdade, do tipo das que pegariam um estranho qualquer na rua, o levaria a um motel próximo e faria tudo o que tivesse vontade, mas com o adendo de que os dois nunca mais se vissem.

Um dia eu ainda entendo o real motivo para as mulheres fazerem TUDO com seus amantes e ainda se negarem a fazerum simples sexo oral em seus namorados e maridos. Isso, sem falar nas donas de casa que têm a pose de mães do ano e das executivas bem sucedidas que se negam a tudo com seus companheiros, mas passam horas no banho se masturbando na intenção do professor de Educação Física das crianças ou do estagiário engravatadinho.
No fundo toda mulher tem o desejo de ser pega a força. Está aí outra coisa que talvez nunca entenda, mas isso já é outro comentário...

A questão é a seguinte: Mulheres, por melhores na cama que sejam são hipócritas e sempre encondem um desejo. Homens, não gostam de santas e têm tanto medo das hipócritas quanto das depravadas. Então, como atingir o equilíbrio? Isso eu ainda tento descobrir, mas com toda certeza o caminho mais fácil é a sinceridade.


Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Emoção à flor da pele...
Mesmo ele não sabendo, ela tinha aqueles seios belos e arredondados, até que um dia ele soube.
Manuela e Leandro trabalhavam juntos há um tempo, ela no terceiro andar e ele no sexto. Às vezes se esbarravam no elevador e trocavam sorrisos maliciosos e tensos.

Ela entra na sala dele, sorri e o cumprimenta:
- Oi, Lê. Tudo certinho essa semana?
-Tudo bem sim, linda. E com você? Trabalhando muito?
-Só um pouco. Nada que não dê para aguentar.
- E o que a traz aqui?
- Precisei de umas informações do perito aqui do lado e resolvi vir te ver.
-Bom, fico lisonjeado- respondeu ele a observando dos pés a cabeça.

Após trocarem algumas palavras, o celular dele toca e enquanto ele atendia, a cabeça dela fervilhava em pensamentos maliciosos que o incluíam, mesmo sem que ele soubesse.
Ele desliga o telefone e ela resolve voltar ao trabalho.

-Tchau querido. Vou desçer e trabalhar um pouco, já que você não o faz, alguém tem que fazer- sorrindo e esticando os braços para abraçá-lo.

-Se você soubesse o quanto eu tenho trabalhado, não diria isso.- diz Leandro se levantando e abraçando-a. Nesse momento os dois sentem algo repentino e ao invés do habitual beijo no rosto, os dois se beijam na boca com paixão e tranquilidade.

Leandro passa a mão direita pelo pescoço dela puxando devagar seus cabelos, enquanto sua outra mão passa pela cintura sem saber que havia tocado no ponto fraco da moça.
Manu sente um arrepio e se sente excitada, percebendo que ele também estava, sente sua cabeça reclinar um pouco para trás e uma leve pressão na cintura. A vontade de um algo mais surgiu, mas estavam em um ambiente de trabalho. O que fazer?
Seguindo seus impulsos, caminhou até a porta e a trancou retornando para onde ele estava e tirando a blusa. Manuela se encosta nele sentindo o coração bater mais forte e o agarra com tesão. O reclina sobre a mesa passando a mão em seu peito.
- Uhn, mulher de atitude além de gostosa. - diz Leandro enquanto tira o soutien dela.
- Você ainda não viu nada.- enquanto abre o zíper da calça dele e segura firme aquele pau duro. Puxa, agacha e o coloca na boca, lambendo, massageando e o fazendo delirar.
Enquanto isso, ele observa aquilo não querendo acreditar no que via, e ao mesmo tempo com medo de alguém chegar e os pegar no flagrante, até que toma uma atitude. A pega no colo e a coloca de pernas abertas tirando sua calça jeans e depois, com os dentes, tira sua calcinha preta de renda.

Mais uma vez ela se arrepia e passa a mão sobre a cabeça dele, que se ajoelha à sua frente e com calma beija a parte interior de suas coxas, subindo e chegando àquela visão explêndida. Um cheiro doce e suave que ainda o excita mais. Passa a lingua delicadamente naquela bucetinha cheirosa enquanto a ouve gemendo. Continua em seu ritmo frenético até que decide ir além. Enfia um dedo devagar para senti-la e ela estremece.
Leandro encaixa seu corpo junto ao dela, segurando-a com firmeza pelos quadris e se escorrega para dentro dela fundo e pesado, como uma estocada precisa e na pressão certa. Manu rebola se sentindo preenchida por aquele homem que até há poucos meses era um completo estranho. Aquele homem com olhos cor de mar , mas que a fazia se sentir única e a chupava como ninguém.
Eles se abraçam enlaçados como um só ser, ele penetrando e ela sendo penetrada. Gemidos, suor e arranhões. Ele agarra os seios dela e goza profundamente querendo perpetuar aquele momento e esquecer de tudo.
Alguém bate à porta. Ele grita que já está para atender enquanto ela se recompõe e ele coloca a camisa. Manuela volta ao seu local de trabalho e passa a tarde pensando no que acontecera.
Durante meses eles trocam e-mails todas as semanas, mas nunca comentando sobre o sexo ferveroso e sempre desejando tudo aquilo e muito mais. Talvez uma segunda oportunidade que pudesse trazer à tona o monstro insaciável que havia dentro dos dois, mas isso nunca aconteceu.

Dedicado à Leandro Carvalho



Marcadores: 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou?