Ser puta e outras questões

Confesso que para alguém que escreve sobre sexo, ainda carrego alguns tabus dentro de mim. Esse ano eu decidi que, em se tratando de ano novo, vida nova. Bom, pelo menos na cama.

A concepção do novo é algo engraçado. A principio, quando este novo nos é apresentado e nos agrada, a sensação é meio que de “dever” cumprido. Aliás, missão cumprida. Quando ocorre o contrário, tomamos verdadeira repulsa do ato anteriormente cometido.

Alguns desses tabus não tem (nova lei de acentuação gráfica!) base alguma.


Por exemplo, eu tinha um grande preconceito com engolir. Primeiro, que achava o gosto horroroso e segundo, que acho isso uma tremenda demonstração de confiança. Não por doença ou pelo parceiro, mas por saber que os homens veem seu liquido como material precioso (assim dito por um deles em uma conversa telefônica um tanto indecente). Enfim, estou repensando estes conceitos.


Outra coisa que eu cheguei a fazer pacto com amigas: nunca faria anal! Mas nem debaixo d’água ou morta. Só a idéia de pensar no assunto me irritava. Hoje em dia eu estou na fase do talvez (que quer dizer: Assim que eu encontrar um homem que mereça e me passe segurança o suficiente para tentar!!).

Porém, embora eu tenha utilizado estes dois exemplos, não é exatamente sobre eles que eu quero falar. É sobre o famoso, mas não mais que o anal, tapa na cara.


Estava lendo uma matéria em um site há pouco, que demonstrava os lados que um tapa na cara, no momento do sexo, pode ter. O de libertação, o de “estupro”, de cafagestagem (essa palavra existe?), dentre outros. A questão é: eu nunca levei na cara. Nem de levinho, nem de brincadeira, nem forte ou de qualquer outro jeito. Acho que ninguém nunca tentou e, além disso, eu nunca dei liberdade para isso. Tenho um amigo que diz que eu tenho personalidade dominadora - mal sabe ele que isso só acontece com quem eu não me entrego (tá, eu já fui pra cama com ele) – mas independente de personalidade ou não, sou muito intensa. Ao mesmo tempo em que posso percorrer todos os pontos de um corpo, a intensidade dessa corrida é o que dita o meu sexo. Tem que ser intenso. Que seja apenas uma vez, que seja simplesmente por ser, porque deu vontade, porque vai passar o tempo, mas se é pra ser, que seja intenso. Agora, intensidade não é confiança ou muito menos, liberdade.


Claro que o tapa na cara está ligado também à submissão, mas muito mais à vontade e confiança. A confiança de você saber que os únicos motivos pelos quais seu parceiro está te batendo é pelo prazer dele (a) e para o seu. Se em algum momento ficar subentendida uma vingança, punição com relação a qualquer assunto fora da cama, acaba a brincadeira. Essa confiança deve ser mútua e coordenada na dose certa, para que não se ultrapasse os limites. É mais ou menos como a história do “é só a cabecinha!”, mas essa os homens nunca respeitam e as mulheres nunca querem que eles o façam.


Essa questão de submissão me remeteu à outra questão. Um assunto interessante surgiu essa semana e eu acabei “transformando” em realidade, mas não tive a oportunidade de escrever sobre. Homens, na maioria das vezes, tem fantasias com putas /garotas de programa. Seja porque suas mulheres em casa são muito dondocas, porque elas não fazem o que eles pedem, porque eles não tem coragem de expor essa fantasia para ninguém ou simplesmente porque gostam.


O fato é que me foi exposta uma fantasia e eu resolvi realizá-la.

Como eu disse, o primeiro impacto de uma situação /experiência pode ser ruim. Primeiro, porque não foi dita da melhor forma e segundo que eu achei se tratar de uma sacanagem maldosa. (Por acaso eu já disse que tendo a ver sempre o lado negativo das coisas? Caso não, estou dizendo agora!) Após algum tempo esfriando a cabeça, cheguei ao ponto culminante da situação. Eu estava diante da fantasia do meu macho e, como sua fêmea, tinha duas opções. Eu poderia me fazer de rogada e perder a oportunidade de uma experiência nova, que me traria mais bagagem e prazer ou eu poderia entrar na brincadeira, dar prazer ao meu homem, adquirir mais bagagem, ter mais coisas para contar aqui e ser outra pessoa por um dia. Alguém adivinha o que eu escolhi? Hahaha


O ponto que eu estou questionando é:o que é ser puta de alguém? Será que quando alguém nos diz “você é minha puta!” em que ser no lado pejorativo /maldoso da situação, já que as putas são mulheres com as quais eles não assumiriam uma relação, ou deveria ser encarado como uma situação em que ele(a) nos deseja tanto que é capaz de projetar e realizar suas mais profundas fantasias ao nosso lado? Ser submisso é tão ruim assim?


Bom, eu AINDA não descobri. Estou, aos poucos, explorando esse meu lado livre de tabus e conhecendo novas sensações. O que eu posso dizer é que só a sensação de saber que o seu objeto de desejo te deseja mais ainda pela sua capacidade de ser quem ELE(A) quer que você seja, independente de qualquer outra questão social, sexual, imaginária, derivativa ou seja lá o que for, é uma das maiores provas de entrega, intimidade e confiança que um casal pode ter, mesmo que esse casal se una somente na hora do sexo.


Beijoselambiidas, Flux.


Ah, já ia esquecendo. O texto muito interessante que me fez ter vontade de escrever sobre o assunto: http://nao2nao1.com.br/tapa-na-cara-tudo-o-que-consigo-dizer-sem-tirar-a-mao-do-seu-corpo/

Marcadores: , 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
As putas de cada signo

Ai, ai... Em minhas viagens pelos blogs alheios, encontrei um post que muito me interessou. Tá, isso aconteceu há um tempo atrás, mas a Kátia Flávia escreve maravilhosamente bem e, com tanta naturalidade, que vicia. Entrei no blog dela hoje e encontrei um post muito interessante sobre as putas de cada signo.

Como sou cara-de-pau, ctrl c+ ctrl v.

As putas da cada signo:

Libriana (Flux):
A puta de libra é sofisticada, mas não é cara como a leonina. A sofisticação da puta libriana é genial: perfumes, música, tudo aquilo que dá um clima bom faz com que ela se transforme numa belíssima (e dificilmente decepcionante) puta. Sabe tirar sofisticação mesmo de situações de baixo orçamento. É a puta dançarina. Se numa festa a fantasia tiver uma mulher vestida de odalisca e dançando de maneira muito empolgada, pode ser uma puta de peixes, mas se estiver muito perfumada, é de libra. O que importa é dançar. As cachorrinhas de baile funk são muitas vezes librianas.

Pisciana (Sexy):

Uma gracinha de putinha. Adora desenhos animados, normalmente o do Pica-Pau, ou Pinky e o Cérebro se ela for uma puta de classe média e tiver tv a cabo. É daquela que não tem problema nenhum em comentar um episódio do Chaves entre uma trepada e outra. Tem cara de séria. Pode trepar com uma expressão tão sisuda que vai parecer que está dando por obrigação. Ledo engano. É que ela está sempre com expressão séria, mesmo. É a típica putinha que frequenta bares de mpb. Adora dar pra músicos. Para cada música do Chico Buarque que você tocar, a puta pisciana te oferece um boquete com creme de leite, ou um cuzinho assado, ou uma tradicional e sempre bem-vinda xoxotada ao molho madeira, pra ela tanto faz. E depois de uma boa trepada com seu músico favorito, volta para o bar, sobe no palco e canta Elis Regina. Pior ainda: canta bem. Chora um pouco depois da quarta trepada consecutiva. Não é culpa sua: ela chora por qualquer motivo, mesmo. Tome cuidado para não se apaixonar! Lembre-se de que é uma puta, e vai reproduzir as mesmas lindas e emocionantes cenas na cama de algum sambista mal-sucedido no dia seguinte. Bom, não poderia deixar nosso querido Lê de fora! Ele é o nosso puto...

Virginiano (Leandro):

Assim como a puta de gêmeos, a de virgem é um saco. Não é nem 10% do que a geminiana é em termos de ser mala. As virginianas na verdade não são malas. O que enche o saco é o pré-requisito: para comer uma puta de virgem, preciso saber mitologia grega. Você tem que vir com aqueles papos de que ela afrodite e tal. Mas se você souber um pouco de mitologia grega e tiver paciência, terá acesso à puta mais puta que você já conheceu. Bebe sêmem no chão, pede pra você enrabar sem usar lubrificante, bate uma punheta muito gostosa, pede pra ser comida por 5 ao mesmo tempo, enfim, é puta totalmente puta. Se você não manja nada de mitologia, ainda há uma chance: basta convidá-la pra acampar e chamar a turma de amigos para ir junto. É a típica putinha de acampamento, que garante dias de diversão. É item obrigatório na bagagem, tanto quanto o jogo de cartas e o violão.

Será? Kátia Flávia, querida, desculpe-me pelo furto!

Beijoselambiidas, Flux!



Marcadores: 3 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Entediado - Participação do Leitor

Abri meu e-mail hoje e tive uma grande surpresa. Um queridissimo amigo que estava me devendo um conto, o escreveu.

Agora, só depende de vocês descobrir quem são os personagens e se é verídico ou não.

Beijoselambiidas, Flux!




Entediado

Era assim que me sentia naquela tarde chuvosa de um sábado que estava fadado a ser mais um dia de pouco movimento na loja. O dono já havia passado pela manhã para recolher o movimento dos dias anteriores e , me desejando um bom fim de semana, saiu fora.
Lembro de estar no msn , trocando idéia mais para passar o tempo do que propriamente para armar qualquer coisa,quando entrou pela porta da loja minha amiga...Há muito tempo que eu "secava" ela...desde os tempos de colégio em que ela vinha me visitar na hora da saída...sempre pensava "cresce e me dá mole pra tu ver,pq me dar mole assim, novinha, nem tem muita condição..."


Chegou molhada, cabelo encaracolado colado no ombro...calça de tactel...um topzinho preto bem decotado...Me beijou,perguntando como andavam as coisas, o que tinha feito de bom e qual era a "boa" de hoje...falei que nada tinha programado, tudo na mesma, mas que se ela soubesse da "boa" que me chamasse...
"-Bom, a boa seria talvez você me levar pra conhecer um lugar que desde nova eu sempre sonhei em conhecer, mas você nunca se dispôs a me levar"...e, nem esperando minha resposta,subiu as escadas....Olhando pela "sacada", me disse:"lembro que vc sempre falava da iluminação de motel daqui de cima...pois bem, quero que ligue as luzes para mim"...


Fui até a porta,colei um "estamos em manutenção", abaixei as grades e subi a escada..,Quando cheguei lá em cima, me deparei com a minha "amiga" trajando uma minúscula lingerie branca, de lacinhos do lado...todo o restante das roupas haviam sido removidas e ela pra se justificar, com cara de sapeca disse:vai que pego uma gripe?"
caindo na risada, me dirigi até ela e , pegando pela nuca, fui logo tascando um demorado beijo....chupando sua língua, percorrendo suas costas com minha mão...sentindo sua respiração pesada, parei com os beijos e, segurando-a pela mão, me encaminhei a salinha onde, colocando-a sentada, recomecei com beijos e carícias mais profundas...

Um agarra-agarra louco,esfrega daqui, sente o calor e a quentura...comecei levemente a pressionar mais meu pau, que a essa altura ja latejava,louco pra pular pra fora da calça nela,louco para que ela o devorasse e sugasse tudinho,como uma mocinha que chupa pirulito.
Minha amiga se levanta e ,oferecendo a bundinha pra mim,nem se faz de rogada...solta os lacinhos da sua calcinha eabre gentilmente as pernas,me deixando com uma visão do "paraíso", área inexplorada...caí de boca nela bem gostoso por trás, a dama na ponta dos pés,alternando gemidos e elogios:"isso seu puto, cachorro,cai de lingua nessa bucetinha que sempre quis te sentir..."isso ia me excitando de tal forma,que mal conseguia me controlar naquela xota incrivel, louco de tesão pra colocar a camisinha e fodê-la com força e jeito...Mas aí,do nada,a mocinha parou...


"Parou pq???"

"Parei pra poder liberar essa piroca, ou melhor,liberar da cueca, pq da minha boca, ele num ta livre não!" - ajoelhou na minha frente, abaixando o zíper do meu jeans, pegou meu pau (endurecido como uma rocha,claro) e , iniciou uma punhetinha básica,olhando pra mim...toca, toca,toca...a boquinha, o biquinho se aproximando cada vez mais do meu caralho,minha "amiga" da aquela lambida do saco até a glande....depois abocanha com vontade meu caralho,lambendo, sugando, mordendo...as unhas enterradas na minha bunda, meu pau quase todo ,quase na garganta,de tanto que ela mamava com gosto e vontade.


Sabendo que o amigo num é de ferro,ela decide acabar com a brincadeira e partir pra coisa séria.Sentada na cadeira,enquanto eu pegava a camisinha e ja encapava o "menino",minha "amiga" aguardava com prévio deleite,tocando uma siririca deliciosa, segurando o biquinho do peito,olhando pra mim e pedindo: vem comer sua putinha, vem, seu filho da puta"

Parei em frente a ela,dei um beijo demorado,pau esfregando no grelo,pincelando e posicionado pra comer aquela buceta incrivelmente apertada...Deixei a piroca escorregar,as pernas dela no meu ombro,cravando de leve,ouvindo os gemidos que aquela fêmea emanava...

Saímos da cadeira,deitei no chão,ela veio por cima,cavalgando como amazona experiente,peitios na minha boca, boca no meu ouvido:"isso seu puto,me fode gostoso, crava essa pica em mim, me come...me come.."depois se virando,cavalgou de costas,cuzinho sendo ofertado para que colocasse um dedinho,pra dar o ritmo das sentadas dela, assim como das minhas estocadas....fiquei de pé, encostado na parede, ela veio, se ajeitando...meti,meti,meti naquela xota gostosa, cravei fundo...

"isso,isso,isso...vou gozarrrrrrrrrrrrrrrrrr...."senti as unhas cravadas nas minhas coxas, um desequilíbrio da minha "amiga"....e ela tinha gozado,encharcando meu pau, deixando aquela xota mais q melada...Feliz que tava,tirei a pica de dentro e,posicionando ela de 4,falei que queria gozar naquele rego..."meu amor, depois dessa foda, vc pode tudo"ri, pq sabia que "tudo" com ela era quase tudo, seu bumbum ainda era um lugar que nenhum sortudo tinha visitado ainda...
Botei ela pra mamar mais uma vez, deixando que acariciasse meu saco,chupando,chupando...

Quando senti que minha porra vinha, tirei da boquinha,botei de joelhos e encharquei aqueles peitinhos gostosos com meu néctar, fruto do prazer que ela me proporcionara...Espalhei toda aquela porra em seu peito,rosto e disse:"te batizei...agora você é minha para sempre"Rindo,olhar maroto,minha amiga pede:pega la embaixo papel para eu me limpar....Desci,peguei logo um rolo para ela poder fazer sua higiene...Quando subi,creio que senti alguém me sacudindo pelo braço: "Poxa tio , coloca tempo pra mim??"

7 anos e uma vontade louca de jogar na lan house. ¬¬

"Amigo, muito obrigada por esses sete anos de amizade linda e verdadeira. Mais do que amigos, somos cúmplices!"

Agora, tem mais gente me devendo conto por aí, né?