Sexo Oral - Relacionamentos e psicopatas

Ah, como é bom o amor. Só que um dia ele acaba, e nunca na mesma hora para os dois. E como é insuportável sentir que não se está mais agradando, melhor ficar atenta para, aos primeiros sinais do fim, começar a cuidar da vida, mesmo sofrendo e arrancando os cabelos. Mas, afinal, que sinais são esses? Bem, eles variam, mas são parecidos. Na hora de ir dormir, por exemplo, ele vai correndo se aninhar nos seus braços ou diz ‘vai que eu já vou’ e só chega quando você já pegou no sono? Aliás, se você dormiu é porque não está se incomodando tanto, mas é bom ficar alerta. Há quanto tempo seu companheiro não diz que você está linda e não te dá um bom aperto no elevador, daqueles que te obrigam a dizer ‘ai, não desmancha meu cabelo?’. Se isso não acontece há mais de 12 meses, é bom abrir os olhos; aliás, ele também. No inicio você se entregava a esse homem em qualquer vão de escada e agora está preocupada com o penteado? Pois ele que se cuide. Quando saem para um restaurante, ele escolhe o que vai comer sem pedir sua opinião? Se a resposta for sim, comece a prestar atenção. E, se ele pedir um prato com alho sem combinação prévia, está quase na hora de pedir a separação. Ele tem comprado muita roupa nova? Tem se olhado demais no espelho antes de sair de casa? Anda meio distraído, sem reclamar da comida, que é sempre a mesma? Mau sinal. Não há maior segurança do que ter um marido que vive reclamando e exigindo. Quando começa a fase do tanto faz, trate de abrir o olho. Já se foi o tempo em que era grave os maridos chegarem tarde com batom no colarinho. Hoje as mulheres nem usam batom, nem gostam de homens casados desses que saem para jantar e voltar para casa correndo, à meia-noite. Se por acaso sua alma gêmea chegar em casa com um CD de músicas românticas e ficar na sala ouvindo com um uisquinho na mão enquanto você tira a maquiagem, posição de sentido. Se o CD estiver no carro, então a coisa pode ser grave mesmo. E, se ele começar a dormir nas tardes de domingo sem chamar você para compartilhar o edredom, desconfie. Alias, desconfie sempre. Uma mulher prevenida vale por duas. Vai ver, é exatamente isso que ele quer: duas. Se ele não briga mais, mostra cara de tédio quando você faz aquelas gracinhas de que ele gostava tanto, é bom começar a se preparar para um futuro sem ele. Mas não se estresse; isso tudo pode ser uma fase, casamento é difícil mesmo e, com paciência e compreensão - dizem - , qualquer crise pode ser resolvida. Mas, se todos os sinais se apresentam ao mesmo tempo, você só tem duas opções: esperar o dia em que ele vai te dizer que está precisando de espaço ou tomar coragem e chamá-lo para uma conversa – e essas conversas costumam ser longas – sobre a relação. Em qualquer um dos casos, espere pelo pior. Que, dependendo de como você encarar as coisas, pode ser perfeitamente o melhor.

Texto acima por Danuza Leão

Considerações a respeito do texto acima:

Parte 1 – Relacionamento:

Ta, ninguém disse que seria fácil, 100% legal 100% do tempo ou que você teria sua liberdade tal como era antes. Todo mundo sabe que mulheres têm forte tendência a serem possessivas, exageradas, possessivas, escandalosas... E vocês escolhem amarrar a coleira assim mesmo. Já disse alguém sábio: homens casam achando que suas mulheres não vão mudar (mas desde o inicio eles já sabem que elas são loucas) e mulheres casam achando que vão mudar seus maridos (mas desde sempre elas souberam que eles possuem certa incapacidade de serem fiéis, coçam o saco e vegetam aos domingos em frente aos jogos de futebol). Logo, reclamam já sabendo da realidade, ambos os lados, entendendo que contrato previamente lido para depois ser assinado, não sai pesado para ninguém.

Parte 2 – Sinais?

Eu queria muito perguntar a essa senhora autora desse texto – Danuza (pqp de nome feio do cacete. Se este for o nome da sua mãe, desculpe-me, mas continua feio do mesmo jeito) quando ela conheceu um homem, que não fosse gay, e que chamasse a mulher em pleno domingo a tarde, passando jogo para dividir cobertor. Ou ainda que combinasse previamente que comeria alho no jantar e ficaria sem beijar a mulher (não conhecem pasta de dentes?)

Se ele não briga mais. Porra, será que o cara não pode estar simplesmente tentando evitar mais estresse e dor de cabeça com uma briga sem sentido que não vai dar em lugar nenhum? É, vai ver ele é que mestá errado...


Parte 3 – Mulheres psicopatas

Alguém já viu aquele filme chamado Dormindo com o inimigo? Ou quem sabe O perigo mora ao lado? Pombas, nesse texto a autora praticamente dá um curso de como se tornar uma desperate housewife. Será mesmo que ser esposa é estar sempre a postos para perceber supostos sinais de que sue marido a está traindo? Daqui a pouco ela vai ministrar aulas de kung-fu para aplicar porrada da sirigaita (filhote de siri com gaita) que está saindo com o cara.


Parte 4 – Considerações Finais

Além de achar isso completamente desnecessário, acho idiota e cansativo, tanto para ela quanto para ele. Pode-se ter todo o cuidado do mundo, vigilância (com a qual eu discordo piamente), desconfiança e estar de olhos abertos aos sinais, mas a verdadeira questão é que, quando tem que acontecer, simplesmente acontece. E vou mais além: quanto mais você se priva, se prende, fica preocupada e pensando na possibilidade de algo errado estar acontecendo, mais chance você dá para as coisas realmente darem errado. Se as mulheres passassem mais tempo curtindo seus relacionamentos ao invés de discutindo, pensando ou tentando afastar a possibilidade dele acabar, os relacionamentos durariam muito mais.

Mulheres, please, deixem o desespero embaixo da cama e sejam verdadeiras esposas/namoradas. Lembrem-se de que assumir um relacionamento vai além de contar para as amigas que tem um namorado ou mostrar a todos um bambolê de otário na mão. Ter um relacionamento é antes de qualquer coisa, saber respeitar limites. Tanto os seus e principalmente os do outro. Saber que o seu direito termina onde o do outro começa e que não adianta forçar, que se tiver que acabar, vai acabar. Sejam amigas, companheiras, saibam dizer sim com certeza e não com graça. Saibam que para concordar não é preciso abaixar a cabeça, da mesma forma que para dizer não, é desnecessário criar a terceira guerra mundial (isso vale mais para ouvir não do que dizer).

Enfim, eu sei que o texto de hoje foi grande e cansativo, mas resolvi mudar um pouco a cara da coluna (entenda-se por eu estar sem libido nenhum para escrever sobre sexo).
Prometo que vem um conto bem quente por aí.
Beijoselambiidas carnavalescas, Flux*


*Um apelo importante. NESTE CARNAVAL, PODE SER AMOR, PAIXÃO OU SÓ SEXO, MAS USE CAMISINHA.
Marcadores: | edit post
O que você achou?