Lembranças acesas


Saí do banho pelando com um pouquinho de frio, então, quando coloquei a camisola, senti meus seis tesos encostarem-se ao pano macio. Um vento fresco corria pela janela e deixava meu corpo ainda mais aceso. Não estava com a mínima paciência para ficar no computador, então, deitei logo. Aos poucos milhares de lembranças encheram minha mente e eu fui começando a me excitar. Lembrava de mim, do banho que acabara de tomar, da boca de um homem em um motel no domingo. Pensava em sua lingua percorrendo meu corpo, sua boca procurando meus seios, suas pernas bambeando ao simples toque de minha boca e meus joelhos enfraquecendo com a maciez de sua lingua. Ainda permaneciam em mim o desejo e a ansia de homens diferentes. Coisas que gostaria de fazer, sexos que gostaria de ter, membros que gostaria de provar.

Quando percebi, minha mão já acariciava meu seio, devagar, com calma, enquanto a outra descia em direção ao meu sexo. Eu já estava me tocando, sentindo minha pele umedecer e minha respiração se tornar ofegante. Levei meu dedo à minha boca e pude sentir o cheiro leve e doce do sabonete de maçã verde e do meu sexo, inundando meus sentidos, desejando não estar sozinha naquele momento. Mas não importava. Meu desejo estava presente e as lembranças me eram suficientes para abrandá-lo. Desci minha mão novamente ao meu sexo, fazendo pressão, segurando com uma ligeira força, enfiando um dedo devagar. 


Noites preenchiam meus pensamentos, sorrisos, bocas. Eu queria sentir, queria ouvir. Cada vez mais pressão se fazia sobre meu sexo e meus seios, e cada vez mais eu me sentia excitada, respirando fundo, sentindo o vento invadir meu quarto, desejando que alguém mais invadisse não só o quarto...

E assim eu adormeci. Completamente excitada, relaxada, sozinha. Os bicos dos seios duros roçando no lençol, meu sexo encharcado de vontade e minha mente divagando e se esvaindo. Aos poucos eu me desfiz e da extrema vontade de ser possuída, sobrou apenas o cansaço, a tristeza e o sono.

2 comentários:

Aragorn disse...

Valeu uma escova de dentes....
e uma chamada pelo nome ( coisa que lhe é familiar) além de um tremor de pernas de perder as forças.
Veio quente e farto,como já tivestes a ocasião de ver.

T. disse...

UAU.
Acho que é a única coisa que consigo falar agora.

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.