Papo da Sexy - Saudades

A saudade dos últimos dias vinha gritando junto com o resto do meu corpo por causa dele. Mas, chegou enfim o domingo, dia de vê-lo, de ser sua novamente.



Veio me buscar e me levou ao lugar conhecido de sempre. Mesmo silênico, tirando os purificadores de ar, respirações ofegantes e tesão. Muito tesão.

Me puxou pra perto dele e começamos naquele beijo intenso. A cada momento mais. Mais mãos, mais beijos, mais respiração. Ele me pegou então pelos cabelos com vontade e me virou, me pondo de costas pra ele pra que o sentisse por completo ao mesmo tempo que me arrepiava beijando meu pescoço.

Seu pênis estava como sempre lindo e grande. A vontade de colocá-lo todo na boca gritava.





Me pegou no colo e sentamos no chão. Nesse momento já não sobrava nenhuma peça de roupa em mim e pra variar, o chupei com gosto. Senti o quanto ele queria isso. Adoro vê-lo vulnerável desse modo, com as pernas tremendo e o corpo cada vez querendo mais. Obedeci. O sentia pulsar na minha boca, inchado.

E então ele veio na direção certa buscando meu sexo. É impressionante a facilidade como ele acha e como eu fiquei muito mais molhada do que já me encontrava com aquele toque.

Penetração. Muito gostoso. Aquilo tudo só meu. Muito suor.

E então ele começa os dois ao mesmo tempo.. penetração e mão. A vontade de gritar e de me morder cada vez aumentava.

Queria gozar. Ele pediu, avisei e gozei.

Estranhamente o que me faz perder as forças aumentou ainda mais. Queria mais... Ele percebeu e não parou.

De quatro, então. A vontade dele de gozar a cada entrada aumentava. Me posicionei e engoli a metade.

Queria em pé, ele obedeceu. Excelente.



Não sabia o que era melhor: aquilo tudo dentro de mim ou sentí-lo com aquela vontade, com aquele tesão todo...

Sentamos de novo. Mais penetração. E quando seu pênis estava totalmente duro e inchado, fiz uma das coisas que mais gosto e ele gozou.

Se dependesse de mim, continuaria com aquilo a noite inteira, mas faltava as forças de ambos e tempo.

Fiquei impressionada como aconteceu desta vez. Foi simples, mas acho que com a saudade que estávamos sentindo me impressionou.





Prometo que não demorarei pra escrever novamente, é que agora a imaginação não depende mais só de mim...

Beijosemordidas, Sexy.
Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Que rolem os dados!

Estou realmente excitado.
O papo de ontem foi muito,muito franco.
Botamos as cartas na mesa.
Só faltou você.
Mas aí,não iriamos estar conversando.
Estariamos bebendo e falando um monte de sacanagens.
Ele,nosso amigo Urso,com certeza estaria muito empolgadinho.
Ela ,nossa amiga Loira,analisando os fatos,aos poucos,ia se soltando.
Ela não põe o galho dentro.
Eu quero,eu faço eu dou!
Os "machos -Alfa" é que colocaram limites.
Eu botei o meu e ele acatou.
Faz com a minha, faço com a dele.
Mas essa idéia é ,semsombra de dúvidas,uma das melhores.
Desde o dia do boteco,chuvosa noite em q 5 estavam na mesa,mas 4 efetivamente estavam interessados.
Depois daquilo,foi amadurecer a oportunidade.
Sei que você diz:"TÔ SUSSA".
Mas sei que tá tão ou mais excitada que eu.
Vamos curtir uma noite regada a caipirinha de morango,dadinhos eróticos,calcinhas minúsculas...
Além disso,tudo mais que rolar,além dos dados,será devidamente postado...
Re-invented sex



Ele,como era chamado pela egípcia,forrava os lençóis por cima das almofadas.
Ela,a egípcia ,como era chamada por Ele,se banhava.
A Loira,nossa anfitriã,terminava de bebericar sua cerveja,talvez desejando,em seu íntimo,fazer parte do que estava porvir.
Ela sabia que,após uma ausência prolongada de ambos na cozinha,não havia como não acontecer.
Foi para o quarto onde seu Macho ,cansado ,a aguardava.
Quando a egípcia saiu do banho,tudo nela exalava simplicidade.
Como se ela não necessitasse de adornos,como se aquilo realmente não fosse necessário para alguém de sua posição.
Deitados,começamos a nos beijar,nossos corpos procurando se adequar aquela situação diferente.
Era ,na realidade,a primeira vez em que dormiriamos juntos.
A Loira se levanta,e ,dando um "boa-noite" um pouco xoxo,vai para o quarto.
Egípcia,abrindo as pernas ,já deixa claro que está ali pronta pro que der e vier.
Bermudinha,sem calcinha.
Blusinha de esportista,sem lingerie por cima.
Os biquinhos esfregando no tecido,logo se tornavam rígidos.
Tocando seu corpo,logo o short se vai,minha bermuda também.
Acariciando sua buceta,logo iniciamos um gostoso vaivém,daqueles que só podem ser inesquecíveis porque os dois,Ele e a Egípcia,tem a exata noção de cumplicidade.
Ela se posiciona,enquanto ele aos poucos,vai penetrando-a delicadamente,mas com vontade,muita vontade.
Não durou 2 minutos.duas vezes.
"Fode meu cuzinho..."
Nem precisou pedir.
Me ajeitando ,ia arrancando os gemidos dela,enquanto meu pau rasgava caminho adentro.
"tá doendo,mas é uma dor gostosa...vai,me fode..."
Subitamente,a porta do quarto se abre e a Loira vai ao banheiro.
Paramos no mesmo instante.
Meio cortando o clima,a Loira volta.
A Egípcia,então,sai do lado pra vir pra cima.
Se ajeitando sobre o corpo e o pau d'Ele,ela logo inicia um trote ,aumentando o ritmo para passeio,marcha e cavalgada.
Gozando como uma louca,a Egípcia logo se deita ao meu lado e se recompõe.
Mas eu ainda estou ali,no pleno vigor das minhas forças,intocável.
Ela então se aproxima,chupa meu pau com vontade....
Sabe como e quando imprimir o ritmo no qual me faz perder a linha por completo.
Ela se deita ao meu lado.
Começo a acariciar suas costas,suas coxas e ,metendo a mão dentro de seu shortinho,busco sentí-la.
Ela,começa então,a se contorcer e pede,baixinho,para que eu não faça aquilo.Tentando,em vão,manter seu controle interno,ela se morde,se aperta e me arranha.
Me vira então,fica compeltamente nua e me come.
Mas me come com força,com vontade.
Tapa minha boca.
Senta,rebola,bate com força a bunda no meu pau...dá aquela lambida em seu biquinho.Jamais pensei que ela fosse capaz de me foder desse jeito,com tanta volúpia,a verdadeira máscara da luxúria em seu rosto.
Aos poucos ,porém,ela vai se acalmando.
Voltando ao normal depois de um papo meio tenso,ela me olha e pede:
"Eu quero gemer baixinho...me fode...."vi-me então colocando-me ajoelhado em frente a ela,posicionando meu pau na entrada e nem esperando pelo seu "ok".
Meti logo,seus olhos quase se revirando...
Ela então coloca as pernas em meus ombros e eu ,pesando sobre ela,tapo sua boca e meto forte,uma,duas ,tres...
A porra vem e vai algumas vezes,louca pra ser liberada,mas eu ainda assim,diminuo seu ímpeto.
Não era a hora ainda.
Cravando,como um louco,ela gemia e se pudesse,teria gritado.
Ela se deita,enquanto eu ,de joelhos,dirijo meu pau para dentro de sua boca.
Esguichando,a porra encontra seu caminho.
Ainda resta um pouco em meus dedos,mas ela,hábil,deixa tudo limpinho.
Água e coca cola.
Beijos,carinhos e carícias.
É quando eu não mais me controlo.
Uma massagem,carinhos...e eu simplesmente não resisto.
Meu corpo parece ser todo sensibilidade.
Cada toque,lambida e mordida me desarmavam por inteiro.
Gemi como nunca havia feito,senti meu corpo explodir,numa sensação de angústia e profundo desespero.
Nunca perdi a linha assim.Fiquei assustado.
Aos poucos,me recupero e nos olhando,de mãos dadas,adormecemos.
Quando eu acordo,seu braço em torno do meu corpo,indicava que finalmente havíamos dormido juntos.
Mais um limite superado e a certeza de que,há cada dia,a gente dava um novo significado àquilo,reinventando uma coisa chamada de sexo para uns,para nós ,muito mais do que isso.
Social

A casa da Loira e do Macho era linda. Uma energia muito boa e aconchegante. A social já estava rolando há um tempinho quando eu cheguei. Demorei pois fique me arrumando. Coisas que eu faço em dez minutos, demorei uma hora. Tudo para ele, pois queria que ele me achasse mais linda do que nunca.

Abriram a porta me mandando entrar e lá estava ele, de pé, jogando Guitar Hero. Eu entrava, abraçando o dono da casa, com uma blusa decotada verde, short e saltos altos. Cabelos soltos, maquiagem egípcia (hahaha), olhos puxados, hidratante Love Spell da Vic’s Secrets e perfume levemente sensual. Bolsa vermelha, calcinha preta.

Pizza, muita cerveja, pavê. Risadas, papos impagáveis, copa de ‘98 da TV, Pânico e confissões da Loira na varanda. A maioria dos convidados já havia partido, ficando apenas os que dormiram lá. Três casais. Eu e ele, Loira e Macho, Linguaruda e Esquisito. Uma leve discussão na cozinha que terminou em nós dois nos pegando com força na parede.


Linguaruda, fraca, foi a primeira a dormir. Tomou banho e se encaminhou ao quarto logo cedo, deixando o namorado passar vontade. Problema é deles, eu não passaria. Tempos depois foi a vez do Macho, que estava cansado, a retirar-se. Ficamos eu, Ele e a Loira na varanda conversando. Por alguns instantes eu lembrei de um beijo que havíamos trocado em uma brincadeira de infância, tal de verdade ou conseqüência, regada a cerveja e cachaça. Por um momento eu quis repetir o beijo, pensando no quão suaves eram os lábios dela. Guardei o pensamento dentro de uma caixa bem lacrada, e logo já estava quase amanhecendo.

Minha vez de tomar banho e deitar. Ele fazia nossa cama, enquanto eu tomava banho. Saí do banho com uma blusa que o Macho me emprestou, do seu antigo time de futebol americano, de short e sem calcinha. Preparada pro abate, pronta pra morrer. Ele deitou ao meu lado e em pouco tempo já estávamos abraçados. Em cinco minutos eu já estava sem short, de ladinho com ele e forçando para dentro de mim. A local era muito macio, tornando a movimentação difícil. não me fiz de boba. Sem pensar duas vezes, abri as pernas e montei sobre ele, rebolando de levinho na cabeça do pau, acostumando meu sexo apertado (acreditem se quiser) ao corpo dele. Sentei com vontade, sentido meu corpo preenchido, olhando nos olhos dele e vendo que segurava seu desejo. Alternando entre movimentos lentos, rápidos e reboladas firmes, fiquei ali por um tempo, e logo gozei forte, firme, segurando os ombros dele com as unhas. Até que ele pediu que eu ficasse de ladinho para ele novamente. Meteu com vontade enquanto segurava os bicos dos meus seios, tirando meu fôlego e me fazendo gemer baixinho para não acordar os outros.

Pedi para que ele comesse meu cu devagarinho e assim ele fez, respeitando meu espaço. Eu queria gemer, gritar alto, mas não podia. Então ele abaixou e me chupou, enfiando um dedo devagarinho, pedindo que eu gozasse novamente para ele. Respondi, entre dentes, perdendo o fôlego, que o clima não era aquele, que pra me fazer gozar ele teria que me pegar com força, colocar até o fundo, com vontade. E assim, mais uma vez, seguindo meus caprichos, ele fez, colocando minhas pernas em seus ombros, e metendo com força até o fundo. Me deixou louca, sem respirar, sem pensar. E eu chupei seu pau rápido enquanto ele gozava na minha boca, puxando seu pau tirando todo o leite que saia dele. O que sobrou em seu dedo eu chupei, e logo ele estava na cozinha de box preta pegando coca-cola para acalmar nossos ânimos. Deitamos, rimos, conversamos.
O sol subia no eu, o dia amanhecia.

Em alguns minutos a minha sede despertava. Foi o suficiente para que eu o estuprasse. Sim, foi exatamente isso que aconteceu, eu o estuprei. Tirei o short em um piscar de olhos e montei sobre ele, rebolando com força e tampando sua boca. Fiquei ali por um tempo, rebolando com força, subindo e descendo, chupando meus seios, quando me dei conta de que deveria estar parecendo uma louca tarda psicótica e saí de cima dele. Ele entendeu perfeitamente quando conversamos e me abraçou. Pegamos no sono, dormimos sob o primeiro raio de sol no céu. Logo fomos acordados por aqueles que não foderam ao som de um Chico Buarque de Hollanda bem alto na nossa cabeça. Povo invejoso...



*Adorei ver que uma simples massagem e carinho nas costas te fazem perder a linha. Usarei isso como tortura.

** O Macho disse que, ao sai do banho, a Loira o agarrou com força em vontade. Fatos nos levam a crer que ela tenha nos visto juntos e tenha se animado.

*** Da próxima vez, você me estupra, ok?

Um dos melhores fins-de-semana da minha vida e nada se compara ao fato de dormir e acordar o seu lado pela primeira vez.


Aí hoje a noite, pelo msn ele me manda:  'você acha que, qdo chegou, eu nao analisei como vc tava? Porra, tu chegou, me beijou..ai passou por mim...eu fiquei olhando pra tu,t ipo...ela ta gostosa pra caralho...mto cavala nesse salto...imaginei, na hora ,você sentando no meu pau,pelada, exceto pelo salto-alto...imaginei vc de cocoras, do jeito que sempre faz qdo me chupa,de salto...abocanhando meu pau, enquanto acariciava a bucetinha muito melada...louca de vontade de me dar gostoso...Na quinta feira, eu tava mto aceso...senti seu cheiro no posto de saude,qdo levei meu pai pra fz exame...passei a sexta TODA numa sinistra excitação...pq eu sabia q ia ver vc a noite...tava foda coordenar os pensamentos...
*ai,depois daquele quebra pau, me olhou com uma cara de safada....enlaçou tua perna esquerda ao meu redor me puxou pra vc...
*adoro esse contato...e tu sabe qUE nao ia prestar se a gente ficasse mais tempo la...
*quando tu abaixou o short...
*pqp...tua bunda tava muito realçada pela renda da lingerie.

'EU ADORO FODER SUA BUCETINHA APERTADA,CHUPAR ESSE PEITO GOSTOSO...DEIXAR OS MAMILOS ARREPIADOS...MORDISCA-LOS ATE VC SE CONTORCER....ADORO SENTIR O CHEIRO QUE EXALA DA SUA BUCETINHA PERFUMADA E BEM TRATADA...ADORO QUANDO VC ME TOCA,QUANDO PROCURA MEU PAU PARA   TOMA-LO NA MAO E ACARICIA-LO... Adoro quando empina a bunda,quando eu fico por tras de vc...como vc se excita qdo eu me guio ate dentro de vc...adoro quando você se morde, tentando sufocar os gritos e gemidos que se pudesse, sexta, teria emitido...adoro a carinha de desespero que você faz quando eu meto de uma vez so meu pau...e em como essa dor que sente vira um tesao gostoso...adoro qdo você me olha com aquele jeito compreensivo, mesmo quando quero tirar tua roupa toda e nem conversar...'


Eu adoro esse homem e como ele sabe exatamente como me fazer gozar. Sabe exatamente como me ganhar... 




Marcadores: 2 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Um simples joguinho

Churrasco em família.
Não tem tu esperar se dar bem,né?
Errado.
André completava 29 anos naquele sábado.
Ele passou em minha casa,e,com o marido da minha prima junto,me buscou.
O sítio é da irmã dele.
Cerveja,churrasco e piscina.
Talvez um futebolzinho.
Chegamos,peguei a mochila.
Foi quando olhei para ela.
Paloma.
Deusa,linda,do alto de seus 19 anos.
"Caralho,Dedé,quem é, meu filho? Alguma prima que eu não conhecia?"
"Não,é minha cunhada,Paloma...Um tesão,né?"
"Porra...mas qual é a dela?Casada,solteira,enrolada?"
"Terminou há 2 meses...tá sem ver rola todo esse tempo...Mas relaxa,deixa comigo..."
Cheguei,abracei e beijei quem eu não via há muitos anos,sem tirar o olho dela.
Saia jeans,blusa branca,belíssimo par de coxas.
Cabelos loiros presos em um rabo de cavalo.
Olhos verdes.
Dedé me apresentou à sua noiva,e depois,falou:
"Paloma,vem aqui pra eu te apresentar meu primo do Rio...Esse aqui é o Rodrigo,aquele primo que eu te falei que veio de lá há pouco tempo...vamos colocar ele nas boas daqui..."
Ela veio,ofereceu o rosto,dois beijinhos.
"Humm,então é você o famoso primo dele...Fala pra caramba de você!"
"Ahah...a gente cresceu juntos,temos mais ou menos a mesma faixa etária...gosto dele de graça..."
"Você não bebe?"Disse ela,oferecendo cerveja.
"Só bebo cerveja preta, Malzibier..."
"Ah,mas pra você ver como o André gosta de você..."e foi até o isopor e puxou uma "Malzi" geladinha.
"Tim-tim"Ela tocou de leve o gargalo de sua long neck na minha.
"À saúde do aniversariante"Eu disse.
"Ao amor",ela disse ,e,me olhando,bebeu.
Papo vai,papo vem,aquela de saber o que se faz,pra onde sai e tudo o mais,perguntei:
"E o namorado,não vem?"
"Tô solteira há mais ou menos 2 meses...não deu certo,a gente brigava,daí ,melhor separar..."
"Mas deve chover convite ,né?Você é gata,gente boa...não deve ficar sozinha muito tempo..."
"Não to preocupada com isso..quero curtir,somente curtir,fiquei presa nesse namoro 3 anos...quero agora conhecer pessoas e ,se rolar de ficar, porque não?"
"Claro,claro..."E ri.
"Porque tá rindo,hein?"
"Nada,nada...só tava aqui pensando..."
"No quê??"
"Que eu também tô nessa fase de curtir ,terminei um namoro de 4 anos e tals...daí se pintar..."
"Você joga sinuca?"
"Eu tento"Respondi.
"Vamos lá na casa de trás,porque lá tem uma mesa...se você quiser,claro..."
E saiu andando...
Fui até o isopor,peguei mais duas garrafas,uma pra cada e a segui até a casa.
Ao passar pelo meu primo,dei um abraço nele e cochichei:
"Filho da puta, não deixa NINGUÉM ir lá atrás porque eu vou jogar uma sinuca..."
Ele,rindo,falou ok...

Lá chegando,Paloma já havia colocado as bolas posicionadas e passava giz nos tacos.
"Primeiro as damas"
Ela,se inclinando,fez o movimento de começar o jogo,e,empinando a bunda,perguntou:
"Vê se eu jogo bem?"
"Tô vendo,tô vendo..."
Ela riu,deu a volta na mesa e parou na minha frente:
"Sua vez"
Me ajeitei,tentando me concentrar,e assim que ia dar a tacada,ela veio e me segurando,já saiu me beijando.
"Eu falei,tô há 2 meses sem pegar ninguém,seu primo me deu a ficha toda de você...sua prima falou que tu pegou a amiga dela do trabalho e bagunçou...fiquei curiosa..."
Botando ela sentada na beirada ( eu adoro beiradas) da mesa,levantei sua saia,a calcinha branca,pequena e rendada pro lado...comecei,como sempre faço,a tocar uma gentil e comportada
siririca.
Enquanto chupava seu grelo,Paloma beliscava um dos mamilos,enquanto me puxava pela cabeça.
"Aii,isso...chupa gostoso,safado...me satisfaz"...
Aumentando a intensidade e a velocidade,logo logo Paloma treme,enxendo meu queixo e minha boca com seu prazer.
"Agora,é minha vez..."
Me colocando agora sentado,ela se inclina,tira meu pau de dentro da bermuda e ,sem se fazer de rogada, logo engole todinho.
Começa a me tocar e me chupar com vontade,acariciando meu saco.
"Põe a camisinha,põe"
Enquanto coloco,ela levanta a saia mais uma vez,e virando-se de costas,me oferece aquele rabo bonito.
Ela pega meu pau ,e ,me guiando pra dentro de si,logo me dá bundadas e mais bundadas, me fodendo com força,com vontade.
Puxo pelos cabelos,seguro pela cintura.
Depois,coloco deitava sobre a mesa,as pernas abertas,meto com força,arrancando gemidos de dor e prazer.
Fodo,dou tapas e cravo a pica com mais e mais vontade....
Tirando,coloco-a de quatro,a bunda pro alto...
Vou brincando com a buceta,ao mesmo tempo em que vou colocando meu pau devagarinho em seu rabo.
"Mete tudo,anda...quero sentir você me rasgando..."
Puxando pelas ancas,meto,de uma vez só,meu pau todo dentro de seu cuzinho.
Ela arranha minhas coxas,apertando e ao mesmo tempo,me impusionando para comê-la rápido.
Três minutinhos são o suficiente pra que ela goze, com os dedos enterrados na xota,e meu pau dentro daquele rabo....
Ela ,arfando,pede que eu tire.
Se ajoelha,mama meu pau,enquanto eu apenas observo.
Um jato forte e quente vai em direção ao seu rosto.
Ela pega,lambe a cabeça do meu pau,lambe os dedos com a porra que soltei nela e ,me olhando,sorri.
"Tô satisfeita...você me deu muito prazer...vamos voltar pra festa?"
Saímos do salão de jogos,meu primo me olha e pisca o olho.
"Jogou muito,primo?"
"Sim,deu pra encaçapar as bolas direitinho"
Rimos,dançamos e marcamos ,para uma próxima vez, um outro joguinho:
Strip-poker...
Toma-me


Tome meu corpo para si e me leve de volta para o lugar onde pertenço. Meu mundo imaginário, meu planeta individual.
Minha pele clama pela sua, minha boca exige seu gosto. Numa perfeita sincronia nos amamos e tomamos um do outro tudo o que é secreto, tudo o que é nosso.
Segure meu corpo, abrace minha alma e prove de todo o sabor que eu posso ter, marcando-me para sempre com a sua essência do prazer.

Beijosatodoseboasemana, Flux*
Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Plena
Plena mulher, maçã carnal, lua quente,
espesso aroma de algas, lodo e luz pisados,
que obscura claridade se abre entre tuas pernas?
que antiga noite o homem toca com seus sentidos?

Pablo Neruda


Poema roubado do Traços do Olavo (com todo carinho)
Marcadores: 3 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Mas será que muda?

O Olavo (aquele HOMEM maravilhoso do Certezas) postou hoje mais cedo em seu blog uma frase de efeito. – O CASAMENTO MUDA AS MULHERES.

Mas será verdade?  Ou elas simplesmente se mantêm tolhidas e recatadas durante o tempo necessário para ‘agarrar’ seu marido? Ta, sei que algumas meninas vão passar por aqui me mandando com passagem gratuita para o inferno, mas não posso deixar de analisar isso como uma das visões do mundo moderno.

Antigamente as mulheres eram o modelo de recato e obediência, sendo criadas para serem donas de casa eficientes e mães de família. Com o tempo elas ganharam força e espaço, ganhando direitos e poder de escolha, tornando as vidas dos homens muito mais complicadas.

Eu falo pois observo isso. Observo de perto, com amigas que pensam diferente de mim (graças a Deus!) e outras que acabaram evoluindo em seus relacionamentos, passando de namoradas a esposas. Cada um tem seu estilo. Têm as relapsas, as desprendidas e, claro, não poderia deixar de fora, as psicopatas. Cada uma tem seu lado bom e seu lado ruim, embora eu creia fielmente que as psicopatas não possuam um lado bom nem dormindo (ou mortas, pois depois elas podem voltar para te assombrar!).

As relapsas realmente não ligam pra nada. Se o namorado não ligou, não apareceu ou se disse que vai pro bar ela não está nem aí. Ela simplesmente quer viver a vida dela sem ter que se preocupar com nada. As desprendidas (sem auto-propaganda, mas essa sou EU!) acham que, embora estejam juntos, cada um deve viver sua vida. A hora de estar junto é a hora de estar junto, mas isso não significa que a vida de um dependa exclusivamente do outro nem que o tempo de estar junto signifique 24 horas do seu dia. Já as psicos’... ah, para elas, 24 horas é pouco para estar junto e o celular – se tiver GPS é melhor ainda – foi a melhor invenção da humanidade.

Vou usar como exemplo uma menina que costumava ser minha amiga e depois que casou virou um monstro. Quando namorava era um anjo. Entendia que quinta-feira era o dia do namorado sair com o pessoal do trabalho para beber a santa cerveja, que domingo de manhã era o dia da pelada e que, dependendo do gás, podia sobrar um joguinho à noite também. Sabia que os domingos de final do campeonato eram sagrados e respeitava isso. Ah, e o trabalho até mais tarde então, compreendia fielmente, pois sabia que viria hora extra no fim do mês. Eis que ela descobriu que estava grávida e os dois, dizendo que se amavam, resolveram casar. Um dia eu fui a casa dela, passei o dia e me senti um monstro. Eu sei que a monstra era ela, mas levando-se em consideração que a sociedade acha que as ‘desprendidas’ não amam de verdade, são loucas ou lésbicas, fiquei realmente abismada e até um pouco incomodada por não ser como ela.

A bicha ligou pro marido umas vinte vezes durante o dia, inclusive no horário de almoço do pobre (creio que pelo tom delicado dela ele tenha perdido o apetite). Ah, faça-me o favor. Todo mundo já está cansado de saber que quando quer fazer, faz até com a mulher/homem do lado. Não adianta ligar, perturbar ou encher o saco, que se o cara quiser trair/sair/ter um tempo só para ele, ele vai arrumar um jeito. E isso vale para a mulher também. E quem foi que falou que viver é crime? Que só porque estão em um relacionamento sério com alguém o resto da vida deve ser deixado de lado e você deve viver em adoração ao companheiro.

Enfim, isso não serve para nada além de levar a vida do parceiro paciente à loucura ou o casamento ao fim. O que elas esquecem (sim, pois a maioria das psicos’ são mulheres) é que casamentos acabam, filhos não são garantia de futuro e que sendo assim só atrasam suas próprias vidas, pois são a outra parte de um casamento infeliz e preferem participar de uma união infeliz do que estarem felizes sozinhas. Por isso eu digo que não sei até que ponto o casamento muda a mulher. Pode ser também que elas tenham uma ilusão infantil de que casamento é perfeição e quando se casa tudo vira festa. Esquecem que estar junto - seja casado ou não - é um trabalho diário de paciência, entendimento do próximo, civilidade, demonstração de amor, respeito e claro, vontade. Que, às vezes, ao estarmos juntos, nos anulamos pelo outro com o sentimento de estarmos agradando, amando e provando nosso amor, que está sendo reconhecido, pois quando se está junto por qualquer outro motivo que não seja a vontade, com toda certeza, uma hora ou outra, a relação desmorona.

  Lógico que eu não estou tocando no assunto acomodação/rotina, pois se for falar disso ficarei aqui eternamente, mas eu creio que muitas mulheres de façam de boas entendedoras, cozinhem para seus namorados de boa vontade* e aceitem grande parte das coisas simplesmente para conseguir algo mais sólido imposto pela sociedade, porém, esquecem que uma hora todas as máscaras caem, deixando a verdade nua e crua de à vista e a felicidade do lado de fora de casa.


*Mulheres, vejam bem: não estou dizendo que cozinhar para o namorado não seja bom, mas muitas mulheres e alguns homens vêem isso como obrigação da mulher, coisa que eu também discordo. Sei que agradar a quem se ama é ótimo e não cai a mão ser agradável, mas daí a fazer isso contra a vontade fingindo estar gostando é um pouco além da conta.

**Olavo, meu caro, obrigada pela frase de inspiração. Obrigada também pelas passadnhas corridas aqui no blog e por ser esse homem todo com essa covinha no queixo que me tira o fôlego. 

Beijoselambiidas, Flux

Ah, amanhã farei um post sobre essa 'mudança' com relação ao sexo. 
Marcadores: 4 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Do sonho a realidade
Eu sei que sonhos não se realizam com tanta facilidade, mas de repente, ele estava ali. Aquele menino com jeito de homem e na flor de seus dezessete anos entrava em meu quarto. Não pude conter minha surpresa ao vê-lo, meu recente objeto de desejo, talvez por sua pureza.

Quando percebi minha respiração ja estava ofegante e ele caminhava em minha direção. Eu estava deitada na cama, olhando fundo nos olho dele e tentando entender o que se passava.  Numa fração de segundos ele leu meu pensamento e se pôs na ponta da minha cama, ajoelhando sobre o colchão e acariciando minhas pernas. Seu toque macio arrepiava minha pele, enquanto eu mordia o labio atônita com aquela presença forte. No segundo seguinte ele ja estava sobre mim, com seu corpo colado no meu, respirando fundo em meu pescoço.

- Fala que você não me quer. - ele sussurrava ao pé do meu ouvido, segurando meus cabelos e passando a mão na minha coxa que estava flexionada para cima, encaixando com o corpo dele.

Eu não conseguia me mover ou falar nada. A força de sua presença era muito grande, o som de sua voz preenchia minha mente e logo eu ja estava extasiada por tudo aquilo, com a leve pressão de seu corpo sobre o meu, pronta para recebê-lo. E com a maior facilidade do mundo ele o fez. Deslizou a mão pela parte interna da minha coxa, chegando ao meu sexo. Chegou minha calcinha para o lado. O toque suave da sua mão me arrancou um gemido contido. Abrindo sua bermuda e segurando um seio meu por baixo da camiseta preta com a qual eu dormia, ele forçou sua entrada em meu corpo, deslizando seu sexo delicadamente para dentro do meu. Não precisou mais do que três estocadas. Logo meu corpo explodia e eu parecia estar me desfazendo nos braços dele. Enquanto me penetrava, beijav meu rosto e minha boca, perguntando se eu estava gostando e se daquele jeito estava bom. Estav. Ô se estava! Estava perfeito e eu me sentia como nunca havia me sentido antes. Como se o corpo dele tivesse sido feito sob medida para o meu, como se nossos sexos já se reconhecessem e completassem.

Eu gozei mais uma vez interminavelmente, e quando eu ja estava voltando do meu mundo particular para a  realidade foi a vez dele. Seu liuido aquecia meu ventre, demonstrando todo o nosso desejo. Ele beijou minh boca mais uma vez e abriu a boca para dizer alguma coisa.

Coisa esta que eu nunca saberei o que era, pois nesse exato momento, o relógio despertou, um novo dia começara. Estava na hora de acordar e ir para a faculdade. Sentei na cama, encostando as pernas uma na outra, sentindo meu sexo umido, pronto para recebe-lo, ou como quem acabara de ser visitada por um estranho desejo na noite.
Marcadores: 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Real

Não se enganem.
Claro que todo o lado romantico foi legal.
Mas a gente tava ali pra foder.
Fodemos.
Ela, do alto de sua juventude,me aniquilava a cada sentada no meu pau.
Cada travada que me dava com aquela bucetinha apertada.
Inutilmente, eu tentava me controlar.
Mas ela,ao chupar meu pau,apertava meu saco.
Ou quando abocanhava meu saco,me tocava uma singela punheta.
Pra onde correr?
Pra sauna,é claro!
Lá,minha putinha mais uma vez me chupou,sentadinha.
Depois disso,ficou de 4,obediente,e empinou aquele rabo imenso.
Meti devagarinho e depois aumentei a intensidade.
Cama.
"Me chupa gostoso".
Eu obedeço.
Para a "Rainha",tudo.
E ela goza.
Forte.
Livre.
Intensa.
Eu aprecio.
Fodemos mais e mais.
Eu gozo.
banheira nos aguarda.
Sentados,brincamos.
Falando sério,ela me chupa debaixo dágua!
É uma mergulhadora!
Depois disso,senta no meu pau,cavalgando de frente, me ofertando aquele grelinho rosado.
O telefone toca.
Mais uma sacanagenzinha.
Ela me faz gozar de novo.
Lambe meus dedos cheios de porra.
Mais um banho.
Roupa.
Conta paga.
Os gritos de sempre pelos corredores.
Elevador.
Um casal.
"Cadê a bruxa do 71"?
aahahahhhaah....
saudades.
E dia primeiro de maio tem mais.
Feriado pra quem trabalha.
Mas quem disse que ela não vai me dar mais trabalho?
Dia do Beijo
O sexo começa na vontade, passa pelo cheiro, pela pele e explode no beijo. No beijo tudo perde o rumo, o mundo ganha vida a paixão ganha toque. O toque ganha sabor e, às vezes, vira amor.
Com o beijo a vida é mais alegre, mais dinamica, mais feliz. Com o beijo tem-se um motivo a mais para chegar ogo em casa após o trabalho ou para acordar ao lado de quem se ama. Um beijo pode mudar o humor de alguém. A ausencia dele também. Por isso beije. Beije muito. Beije quem você quiser, pois as emoções estão à flor da pele e o mundo é mais colorido. Isso tudo só porque os amantes e amigos se beijam.
Quero desejar a todos os leitores queridos e um ótimo dia do beijo. Que todos tenham um dia cheio de beijos sabor morango.
Tem o beijo sensual

Tem o comportado
O erótico


O apaixonado...

Não importa qual o beijo, hoje o importante é beijar. Você não vai ficar de fora dessa, né?
Beijoselambiidas, Flux*
Marcadores: 3 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Profundo e perfeito

Sentada na rodoviária aguardando o embarque para o local onde, por agora, é minha casa. Os momentos da noite passada surgem em flashes como raios no céu. Como se um buraco estivesse se abrindo no chão e coisas diferentes estivessem surgindo de lá.



Eu nunca pensei que pudesse existir tamanha profundidade nas coisas ditas e ouvidas. Eu nunca pensei que alguma vez na vida eu fosse me sentir verdadeiramente venerada por alguém.


Foi exatamente assim que eu me senti: venerada. Palavras proferidas no escuro de uma suíte. Um sorriso perdido ao ouvir essa ou aquela trilha sonora. Trilha sonora esta, escolhida a dedo, digna de um Rei. Sim, Rei que fez de mim por uma noite mais do que sua escudeira; sua Rainha.



Tudo já estava combinado desde um pouco mais cedo e ao nos encontrarmos eu pude ler nos olhos dele ‘você realmente veio’. E assim tudo começou. Ele me elogiou dizendo que estava bonita, bem arrumada. Entramos no táxi, o motorista errou o caminho, mais alguns minutos estávamos lá. Naquele exato lugar onde havíamos nos entregue um ao outro pela primeira vez.



Todo o meu esforço em acatar os desejos dele de uma lingerie bonita foi por água abaixo quando, logo que entramos e eu depositei minha bolsa, fui agarrada e beijada, sendo jogada na cama. Não durou dois segundos no meu corpo. Eu já havia tirado a blusa e facilitado um pouco as coisas, quando ele me jogou delicadamente sobre a cama, lambendo o bico dos meus seios e já me fazendo respirar fundo.



Dali pra frente foi uma coisa mais especial do que a outra. Ele tirando minha calcinha, beijando minhas pernas, segurando meus cabelos, a forma como ele me olha, me toca e deixa claro que me deseja. Foi em um momento único que minha urgência de senti-lo dentro de mim surgiu e quando vi já estava deitada com as pernas completamente abertas e ele sobre mim, pressionando seu corpo contra o meu. E assim ele arrancou o primeiro suspiro da noite. Penetrando fundo no meu ego, derrubando minhas barreiras, envolvendo minha alma. Ao som de uma musica especialmente escolhida para ele, nossa terapia começava já a temperaturas altíssimas. No meio de tudo eu o abraço e sussurro em seu ouvido pedindo que fizesse amor comigo e como sempre, ele cumpre. Enquanto nossos corpos se completavam, eu sussurrava a letra da musica para ele, que sorria alma adentro. Levantando minhas pernas, ele conhecia a parte mais profunda de mim e beijou meus pés (eca!) fazendo com que eu me sentisse venerada por mais uma vez. Mudei o ritmo, pedi para que me comesse com força e vontade, mais uma vez ele o fez. O prazer chega farto em minha boca e eu não desperdiço. Tempo para abraços. Ele beija meus olhos fechados. Banho.



Rimos, brincamos, fizemos bico. Logo a necessidade se fez presente novamente e ele me dirigiu à sauna, segurando meu braço com urgência. ‘Eu vou te comer aqui’ e logo eu estava de quatro para ele, que metia fundo, mais uma vez. Voltamos para a cama e mais uma vez nossos corpos estavam colados, quando eu sentei sobre ele devagar e comprimindo meu sexo arranquei um gemido e um ‘filha-da-puta’ em alto e bom tom. Eu rebolava com cada vez mais vontade, sentindo o corpo dele dentro do meu quando eu abaixei perto de seu ouvido e sussurrei duas palavras. Duas palavras que ele ouviu perfeitamente da primeira vez em que eu falei, mas precisava ouvir de novo. Precisava confirmar se mais uma barreira havia sido rompida.



Após ele quase implorar eu repeti, e num súbito acesso de necessidade ele me puxou para perto de si e me beijou com vontade. Pedi que me chupasse. Ordenei que me chupasse, que colocasse sua língua em mim devagar, arrancando meus gemidos e me fazendo agarrar o lençóis. E logo foi a hora de dar-lhe um presente. A ânsia tomava conta do meu corpo, num misto de desespero e despudor, vontade de sentir e de sair correndo, quando minhas pernas começaram a tremer e eu sabia já ser tarde demias. Gozei com uma intensidade absurda, respirando fundo e olhando para ele, enquanto segurava os cabelos. Mandei-me para o meu mundo particular, sorrindo fervorosamente, agradecida por todo o prazer que ele me dá.


Conversamos por alguns momentos, trocamos segredos, medos e verdades. Espaço para mais um banho e uma chupada (que já foi melhor) no box. Eu coloco seu saco na boca e ele devagar perde as forças, segurando meus cabelos e me virando de costas. Apertou minha bunda, roçou meu sexo e já já voltávamos para a cama. Comeu-me de forma esplendorosa com as pernas para o alto, de lado, de bruços e me deixou querendo mais. A banheira enchia, o celular tocava e nós dois nem aí pro mundo. Debaixo do lençol fino ele me abraçava para afugentar o frio e seu corpo já dava sinais de que necessitava de mim novamente. Judiei dele dizendo que só me tomaria quando a banheira estivesse cheia, e assim fizemos. A água quente aumentava nosso calor, e eu me pus sobre ele, de frente, pernas abertas apoiadas na beira da banheira e ele tendo a visão mais despudorada de mim. Ofereci-lhe meus seios e minha boca e depois voltamos para a cama. Mais uma vez, ele me amava na cama de forma carinhosa e urgente. Eu queria intensamente sentir o resultado de seu prazer dentro de mim, aquecendo meu ventre, acalmando minha pele, mas ele gozou deliciosamente em meu ventre, espalhando-se um pouco para minha cintura e minha coxa. Mais um banho.



Cuidei de meu Rei ensaboando-lhe o corpo e beijando suas costas. Massageei seus ombros e beijei sua boca. Logo tudo estava acabado, guardado na memória e no ensejo de uma repetição.



Já na loja de conveniência do posto de gasolina tomávamos café da manhã. Ele me dizia que eu estava linda, eu o dizia que era o melhor homem com quem eu já havia me deitado. Um idiota tentou uma graça e eu senti uma enorme vontade de olhar para ele e dizer: ei, você não está vendo que eu estou acompanhada? Que meu Rei me acompanha?, mas o Rei não viu, então, fiquei quieta. Ficarão guardadas na minha mente as palavras ‘você de roupão e toalha na cabeça com esses olhos puxados estilo japonesa é imbatível’. A noite ficará em minha memória, em meu coração. Já na porta do meu prédio nos despedimos. Beijo na boca, olhares já saudosos e três cartas entram em minha bolsa. Eu estava simplesmente radiante.



*Obrigada pela noite maravilhosa. Obrigada por ser quem eu precisava, da forma que eu precisava, quando eu precisava. Desculpe por meus lapsos e por meu corpo cansado. Foi tudo extremamente especial e você me provou tudo o que havia me dito. Sua forma de me tocar, me olhar, me ter é perfeita em todos os sentidos e eu serei eternamente grata por tudo o que me fez sentir na cama e fora dela.

**Agora enquanto escrevo, ouço On bended knees, que ficou de fora da lista pois não estava no meu MP4, mas serve apenas para sinalizar que foi exatamente assim que você me teve: de joelhos, a seus pés.
Marcadores: 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Terapia Sexual

Ela,deitada de bumbum pro alto,rosto de lado no travesseiro,me olhava.

Eu,mãos passeando por suas costas,acariciava seu corpo gentilmente.

"Eu poderia ficar aqui para sempre,recebendo seus carinhos".

Eu sorria.

Fizemos o que ela havia me pedido.

"Faz amor comigo".

Trepamos,fodemos e ,ainda assim,nos amamos como só nós 2 sabemos fazer.

Sorrimos,brincamos.

Nos entregamos inteiramente um ao outro.

Sem limites.

"Você já notou que conseguiu romper as barreiras que eu impus a qualquer pessoa?"

Me dei conta, no momento em que nos despimos.

Linda,lingeries rosas.

Não duraram mais de 2 minutos no corpo.Um lapso não elogiá-la.

Mas meu corpo tinha mais urgência.

Deitei-a na cama.

Levantei sua blusa e,suspendendo a parte de cima,lambi seus seios,mordiscando os mamilos,sem dor,apenas prazer.

Ajoelhado,ajudava a tirar sua calça jeans.

Aquele bumbum espetacular,causa de cobiça de terceiros,estava ali,pronto para mim.

Na cama de novo,ela se deita,nua e me chama.

"vem aqui".

Nos beijamos.

Tiro minha roupa.

Me encaixo nela.

Nossos corpos começam o vaivém gostoso dos amantes.

Sem pressa,nos deixamos levar pela música que nos embala.

Sim,senhores.

Rei e rainha se amam ao som de músicas escolhidas para essa ocasião.

Laptop rola a trilha sonora do "balancinho".

Robin's,Bow´s , Ciara's...Um início de Tremaine...porém a bateria foi pro saco.Nós não.

Tudo conspirou para que a noite tenha sido mais do que especial.

Foi inesquecível,memorável.

Precisava saber.

Tudo o que fiquei sabendo.

E descobrir o que faltava.


"Eu quero que você me chupe agora"

Seu grelinho rosado,na pele morena de olhos puxados,é bem pequenino.

Chupando de levinho,iniciei uma massagem com a língua ,enquanto a penetrava beeeeeeeeem devagarinho.

Ela gemia,se contorcia e , amarrotando os lençóis,ia lentamente, se entregando àquilo tudo,sem ter como controlar.

Me olhando,perdia a linha.

Foi aí que aconteceu.

Eu precisava mesmo me recarregar,me reeergizar.

E , em questão de energia,um gerador foi liberado.

Intenso.

Belo.

Energia que percorreu aquela suíte,deixando a cama completamente ligada.

No silêncio,eu apenas aguardava,extasiado,ao espetáculo da natureza humana que se desenrolava.

Forte,trêmula,ela ,em seu momento particular deixava as emoções e sensações percorrerem como um raio seu pensamento e corpo.

Sorrindo ,ela me olha.

Me abraça.

Logo,sou eu quem gozo,liberando todo o prazer contido nos últimos dias,somente para ela.

Banhos,sauna....

Mais uma sacanagenzinha...

No box,ela me ensaboa,massageia e ,ligeira,me chupa com vontade.

Tentando,em vão,não perder o controle,aperto,seguro e puxo seus cabelos.

vamos de novo pra cama.

69.

E a certeza:

A melhor mulher com quem já me deitei.

Perfeita.

Ilimitada.

Carinhosa e safada.

Puta e delicada.

Como não beijar seus pés enquanto estão perto do meus ombros?

Ahaha.

Ela me deu,ela me tomou.

E eu a amei,como ela me pediu.

E ela me amou,como sempre quis.

Pra coroar o rei e sua rainha,a hdro enchia e nós nos pegávamos,mais uma vez.

Chupadas, toques e carícias.

O som da hidro funcionando,a plenos motores.

Água quente.

Espuma.

Abraços.

Olhos nos olhos,nos amamos ali,debaixo da espuma.

Ela senta,cavalgando de frente, me oferecendo seus seios deliciosamente gostosos e firme,já ficando "descoloridos" das marquinhas adquiridas no sol,que realçam demais sua pela morena.

Seu telefone registra um sem número de ligações não atendidas.

Ela se irrita ,mas nada que abale sua vontade de me ter.

Nos amamos mais um pouco e ,mais um banho gostoso pra fechar a conta.

Conta pedida.

Nos vestimos.

Elevador.

Táxi.

Postinho pra comer.

Toddynho pra ela e h20ooh pra mim.

"Você sem dúvida é a melhor mulher com quem já fiz amor"

Ela sorri.

Apoiada em meus ombros,me fala um segredo.

Tentando me controlar para não pular como louco,eu sorrio de volta e agradeço.

Ganhei a noite com o elogio.

Nos despedimos,na porta de seu prédio.

Ela,cansada,vai pra casa enquanto eu caminho até a minha.

No caminho,vou revivendo as sensações que ela me causou naqueles dias.

Desde o carnaval,ela vem se mostrando exatamente como eu queria.

Completa, em todos os sentidos.

E eu um felizardo,por poder apreciar todos os espetáculos com que ela tem me agraciado.


Obrigado



1= Minha urgência é apenas controlada por muita força de vontade.

Creia-me quando eu falo: se eu pudesse, a cada momento a sós com você, suas roupas estariam suspensas ou arriadas.

Mas uma rapidinha pra gente é pouco,não?


2= Ninguém,aqui ou no Afeganistão é mais reverenciado do que eu .

Homem,amante e rei se fundiram num só.

E revelaram que não há mesmo alguém que seja mais cheio de honrarias que eu.

Obrigado por tudo.

Pelas noites maravilhosas,de conselho e de amor,que partilhamos.


3= Já sinto falta do seu cheiro,do seu toque.

Será que "Os vizinhos irão saber o meu nome"?

Ahaha..depende da bateria...

E por falar em bateria...

Como não olhar com admiração ?

Meldelsss...

Tesão a flor da pele...

E eu presenciei tudinho,tendo uma pequenina(rsrsrsrsrs) participação.

Te amo...

Obrigado,mais uma vez,por me fazer o cara mais realizado desse mundo ou da Middle Earth.

Luv ya ,really really miss ya,baby!
Silênciosos amantes

Num quarto de motel,os dois finalmente se abraçavam.

O dia transcorrera como previsto.

Alguma tensão,no olhar vasculhador do homem,revelava o que ele já imaginava:

Tudo o que ele aguardara,aconteceria.

Eles,levados pela música que os embalava,se entregaram um ao outro naquele momento.

Ele para.

Solta seu corpo e ,gentilmente,beija seus olhos fechados.

Ela,sorridente,como uma criança que recebe um afago,se deixa levar.

Então,se beijam.

Lentamente, ele percorre com suas mãos delicadas aquele corpo que tanto ansiava por tocar.

Foi quase um mes desde seu último encontro.

Receoso,por causa de coisas por ele escritas em um momento de profunda solidão,viu cairem por terra suas dúvidas em relação a ela.

Ela ainda era a mesma.

Carinhosa.

Deliciosamente provocante em seus atos e gestos.

Quietos,ele vai tirando suas roupas.

Ela ajuda a se desvencilhar dos seus últimos tecidos.

Mais uma vez se abraçam e agora se beijam demoradamente.

Como se cada momento fosse uma nova descoberta.

Se encaminham para o chuveiro.

O banho,quente, faz com que o vidro do box se torne embaçado.

Ali dentro,os corpos novamente se encontram.

Ela, cabelos molhados,pele morena,vai se ensaboando e ao mesmo tempo,se insinuando para ele.

Ali,os dois iniciam as carícias mútuas.

Ele chupa seus seios duros, firmes e acima de tudo,excitados pelo contato tanto da água quanto da língua do seu parceiro,que percorre,mordisca e os chupa.

Ela,acariciando o homem,busca seu membro ,com vontade de chupá-lo,como sabe que ele gosta.

Ajoelhada,ela empurra o parceiro para a parede,passa o dedo na glande e , dando um sorriso maroto,começa lambendo,ora o pau,ora o saco,arrancando dele os gemidos característicos de quem sente tesão.

Por sua vez,ele recorre a toda sua força de vontade para não gritar.

Ela está com seu saco bem em sua boca.

Chupando,ela se toca.

Brinca com seu grelinho rosado.

Na mesma velocidade em que chupa,passa os dedinhos pela entrada de sua bucetinha pra lá de apertadinha.

Não mais aguentando,ele a pega pelos cabelos.

Coloca suas mãos espalmadas no ladrinho e nem pensa duas vezes.

Direciona seu pau .

Deixa escorregar para dentro dela.

Ela, vendo que aquilo lhe dava um tesão imenso,rebola.

A água vai caindo,ele a empurra pra perto da ducha e aumenta a velocidade da foda.

Mete.

Mete.

Mete.

Para.

Saem do box.

Coloca ela sentada sobre a pia.
Ele busca o seu olhar.

Ela sorri.

Ela o pega pela cintura.

Enlaça suas pernas nele.

Ele pega,passeia com sua boca uma vez mais em seu grelo.

Morde.

Ela o aperta.

Dor ou prazer?

Pouco importa.

Ela pede:

"Me foda".

Ele obedece.

Deixa a pica escorregar para dentro dela, enquanto a puxa pela cintura e aperta um dos seios,massageando um dos biquinhos.

A intensidade aumenta e ele súbitamente tira o pau.

Apertando,ela desce da pia e se ajoelha.

Abre a boca.

O gozo vem farto e ela se rejubila.

Engole tudo.

Ele cambaleia ,mas se mantém de pé.

Ela se levanta e ,abraçando-o,se dirigem para a cama.

Um fôlego,antes do próximo mergulho.

Saudadeeeee
Minha vidinha esta uma loucuuura. Assim que der, passo aqui e conto novidades.

Rodrigo F. = Saudade de você, meu amor. De rir ate as altas horas da madrugada com as nossas besteiras.

Mr. T=  Quanta falta voce me faaaaz. Nossas conversas cabeça ou maliciosas ate quase amanhecer. Todo o seu carinho e atenção em me fazer sentir especial, bem quista e bela como uma flor. Sinto muito sua falta. Apareça.

Aragorn = O safado tambem esta estudando muito e abandonou o blog. Sofrerá casigos quando me encontrar. Te adoro.

Jaqueeeee = Minha commpanheira de todas a horas. Aquela que sempre me entende. Como vc está? E a saude? A mamae? Noticias dos exames dela? Ai ai...
E todos os outros que nao da tempo de comentar, mas que tambem moram em meu coração e eu morro de saudade.
Marcadores: 3 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou?