Mais uma vez
E seria tudo tão mais fácil se ele não tivesse um poder extremo sobre mim. Se quando eu entrei pela porta e dei um beijo no rosto dele meu corpo não tivesse se acendido instantaneamente e eu não soubesse que ele correspondeu a isso.

E o tempo passou, nós jantamos, jogamos e conversamos, enquanto eu me sentia ligeiramente umedecida a cada vez em que ele mordia meu pescoço ou passava a mão em minhas coxas. Quando ele me pega na cozinha pelas costas e puxa meu cabelo, beijando minha boca com força e me impedindo de sair de perto. Enquanto eu lavo a louça, com ele parado ao meu lado, sinto meu sexo pulsar com o desejo reprimido. Eu não deveria ceder, eu não poderia ceder...

Mas eu cedi e, enquanto eu escrevia no quarto ouvindo musica, ele veio por trás, mordendo meu pescoço, acariciando minhas coxas, logo chegando ao meu sexo encharcado, tocando de leve e apertando meu seio co a outra mão. Enquanto eu tentava me controlar no que eu escrevia, ele ajoelhou na minha frente, virando a cadeira giratória de frente para si e me olhando nos olhos. Sem querer saber ou pedir permissão chegou minha calcinha para o lado e encheu sua boca com meu prazer, embebendo seus lábios, com o pau duro, pronto para me penetrar... Eu gemia e ele chupava, enfiando o dedo fundo dentro de mim, chupando e me enlouquecendo, quando eu pedi baixinho em seu ouvido que me fodesse com vontade, fundo, até gozasse, de uma só vez, sem pensar, sem parar, sem respirar.

E assim ele fez, seguindo meu pedido, arrancando minhas forças e ignorando a presença dos outros na sala. Nosso desejo era mais ugente, nossa vontade, mais presente. Controlei-me e mandei que e deixasse terminar de escrever, retornando à sala. Ordens são feitas para serem cumpridas e assim o fez.

Um tempo depois decidi ficar. Não adiantaria ir embora e a vontade ainda estava presente. Tomei um banho e coloquei o baby doll. Juntos na cama, como sempre, o clima esquenta. Eu me faço de besta para que ele me pegue à força, mas ele perde a deixa, curtindo aquele joguinho de quem perde mais. Logo estavamos naquele ritmo intenso, ele me penetrando e eu o envolvendo, rápido, devagar, fundo, de leve. Fizemos o que sabemos fazer de melhor juntos e, mais uma vez, vimos o dia clarear.
Marcadores: | edit post
O que você achou?