Freedom Day



Vermelhos.

Desde o scarpin 7,subindo pelas bem trabalhadas meias que cobriam suas coxas.
Tudo nela exalava erotismo e sedução.
A liga presa ao espartilho do mesmo tom,com um penhoar por cima para amenizar o fogo que dela emanavam não foram o suficiente para me conter.
Ali estava eu estava parado na porta de seu apartamento.
"Não vai entrar?"
"Desculpe ligar em cima da hora,mas precisava vir...espero que não a tenha incomodado"
Ignorando meu comentário tolo,ela diz:
"Não lhe agrada a visão? Vesti-me especialmente para você...gostaria de quebrar seus conceitos quanto a trajes claros... E não,você não me incomoda,meu anjo...por tudo o que vivemos nesses 4 anos,ainda sinto sua falta,mesmo que não estejamos mais juntos."
Ainda fora,ela me tomou pela mão,conduzindo-me até o sofá.
"Onde eles estão?"
"Ela foi para a casa da irmã,você sabe...e ele para a casa do avô...temos ,como nunca antes,a casa somente para nós...estranho não é?"
"Sim,quando morava aqui era tudo tão diferente...agora ,sem eles,é tão ...silencioso...."
Ela se aproxima e segura minhas mãos.
"Senti saudades."
"Eu também"
Abraços apertados...
"Como disse,me preparei melhor para nosso re-encontro."
Notei que seu corpo exalava um cheiro bom de Sweet DayDream, da VS, o que fez com que minhas narinas se dilatassem,assimilando seu perfume,o que me causou um estremecimento de prazer.
Ela,olhando fixamente para minha boca me disse:
"Quero beijá-lo.Quero que suas mãos me toquem gentilmente como sempre o fez"
Puxando-a pela cintura,eu faço com que se sente de frente para mim,no meu colo.
Levo meu polegar até seus lábios,fazendo círculos ao redor de sua boca,enquanto acaricio
suas costas bem devagar. Ela me beija,colocando sua língua colada na minha,passeando sem pressa.
"Que saudade do seu beijo...que falta sinto de nossos momentos..."
Vou tirando delicadamente seu penhoar,alisando seu ombro e beijando-o.
Para completar,retirei do corpete seus seios intumescidos e os lambi com tamanha excitação que
ela chegou a gemer de dor.
Enormes.
Rosados.
Perfeitos.
Enquanto a chupo,ela segura meu pau desajeitadamente,sem posição,mas querendo de todas as
formas me agradar. 'Quero sentir sua língua lá embaixo,sugando e mordiscando como somente
você sabe fazer e como sabe que eu amo..."
Ela então se ajeita.
Puxando-a pelas coxas grossas,coloco suas pernas abertas,sua calcinha minúscula para o lado e aspiro
o delicioso perfume que emana de seu sexo. Deus,como sentia falta daquele cheiro.Tão bem cuidada, tão doce... Cheiro de mulher.
Aquele cheiro,aquela mulher que durante 4 anos foi minha...histórias demais...
Quando me aproximo,ela se abre ainda mais,acariciando seu clitóris,enquanto eu a beijo.
Coloco seu sexo em minha boca.
"Adoro sentir seu gosto...você é tão delicada..."
"Adoro sentir sua boca em mim...não pare.....não pare,por favorrrrr...."
Seu prazer vem forte,intenso e ela geme alto,apertando os mamilos.
Ela se inclina,beija minha boca,lambe meu queixo e sorve seu próprio gosto,me deixando mais do que pronto. Refeita,me pede:

"Quero você dentro de mim AGORA!Me foda,me coma,me ame,me possua como desejar...mas desejo senti-lo entre minhas pernas nesse momento..vem....vem...."

Eu me levanto.
Ela abre minha calça.
Segura.
Beija gentilmente a glande e coloca na boca.
Chupando devagar,acaricia minha bunda,chamando-me para estar mais e mais fundo dentro dela.
Eu a guio até a imensa mesa de vidro.
Colocando-a de frente para mim,uma das pernas no meu ombro ,eu peço:
"Guie-me para dentro de você agora,necessito sentir seu calor e quero que você me dê prazer"
Ela então me segura,posicionando-me em sua entrada.
Ela enfia devagar,me olhando,enquanto eu a seguro pela cintura e pelos seios.
Seu corpo se contorce,enquanto eu aumento a velocidade das estocadas, fazendo-a gozar quase que instantaneamente.
Ela treme e, saindo dessa posição, se levanta e me beija.
Eu a pego pelo braço e, debruçando-a na mesa, inclino seu corpo.
Ela sorri, enquanto abre as pernas para receber-me.
Brinco com seus cabelos, enquanto com a outra mão me guio ao seu cuzinho apertado.
Ela me olha com um olhar inquiridor, mas, relaxa.
Antes de colocar, ela se ajoelha, chupa mais um pouco de deixa ele molhado com sua saliva.
"Nada de datas comemorativas, lembra?"
Eu sorrio.
Seja feita vossa vontade.
Ela relaxa a musculatura e eu vou enfiando devagar e continuamente meu pênis nela.
Com um gemido contido, ela arranha e aperta minhas coxas, enquanto começamos o vai-e-vem característico de nossa intimidade.
Logo, eu meto fundo, com força, fazendo-a bambear as pernas e espremer os seios contra o vidro.
Ela goza mais uma vez se masturbando, enquanto eu a possuo com muita força,preocupando-me muito em não machucá-la.
Meu prazer jorra quente e denso dentro dela, fazendo com que crave minhas unhas em sua cintura, deixando-a marcada.
Ela me abraça, buscando minha boca, agradecida por amá-la como da forma que eu sempre o fizera.
Ela vai ate o banheiro e acende o aquecedor.
Hora do banho quente e botar o papo em dia.
A cama box em que nos deitamos ainda estava lá...
Mas isso é uma outra história e eu juro que vou contá-la.

PS*
29 de Dezembro é o 363º dia do ano no calendário gregoriano (364º em anos bissextos).

2 comentários:

Tara Flux* disse...

Séeeeeeeeeeeeeerio, minha avó usava penhoar! hhahaha


Saudades dos 4 anos? Nada que nao possa ser resolvido.


Até onde eu me lembrava, era 28, mas se vc diz que é 29 e a vida é sua, vc, como sempre, deve estar certo.

AMEI o post!

Tara Flux* disse...

Ah, esqueci de dizer. Sweet Daydream é bom, mas Love Spell é muuuuito, muito melhor!

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.