Vestiário e sexo
O campus da faculdade sexta à noite é uma tranquilidade só. A maioria dos professores liberam os alunos mais cedo e de vez em quando rola uma peça no palcão do teatro. Na sexta teve uma festa na Lapa do pessoal de teatro, logo, o prédio deles estava vazio. Coincidentemente a festa da minha turma era no mesmo dia e, como eu estava desde cedo na faculdade arrumando as coisas da festa, fui tomar banho e me arrumar no prédio de teatro. 

O prédio vazio, só um segurança no primeiro andar. Vestiário no terceiro, transito livre a alunos. Subi de elevador com a mochila e dei boa noite ao segurança. A porta do vestiario não tem tranca, logo, entra quem quiser. Comecei a arrumar as coisas para tomar banho e tirei a roupa, entrando debaixo do chuveiro e ligando a agua. Estava tomando banho quando de repente ele estava parado à minha frente. Os olhos desejosos percorrendo meu corpo, enquanto eu ensaboava meus seios e coxas, a agua escorrendo em minhas curvas. Então ele cansou de olhar, tirou a camisa e a calça, tenis e meias e entrou debaixo d'agua comigo, me puxando, beijando minha boca sob a água e agarrando minha cintura com as duas mãos, como fez em uma noite anterior. 












A agua caia, as mãos dele segurando meus seios, levando-os até a boca, passando a lingua no bico, subindo uma perna minha e encaixando nossos corpos. E assim ele me penetrou pela primeira vez na noite, enquanto eu cravava minhas unhas nas costas dele, gemendo baixo para não fazer eco e tentando rebolar acompanhando o ritmo do corpo dele. 


Abaixou minha perna, pedindo que eu o chupasse, e eu fiz o que pediu, ajoelhando de frente pra ele, de cara com aquele pau lindo, grosso, pulsante e melado, segurando-o com vontade e colocando só a cabecinha na boca, sentindo meu proprio gosto no sexo dele, sugando todo o resto para dentro da minha boca até senti-lo encostar na garganta. 

E chupei com vontade, rápido, devagar, lambi as bolas, massageei com a lingua aquela pica gostosa até que ele não aguentasse mais e me levantasse com força e me colocasse de quatro encostada na parede. E segurando minha cintura com as duas mãos, forçou-se para dentro de mim novamente. E fodeu, gemeu, rebolou, enfiou o dedo devagarinho no meu cu enquanto me fodia com vontade, me fazia morder os lábios, quase gritar de tanto tesão.

E meteu com força, rebolando, gemendo, mordendo meu pescoço, puxando meu cabelo até que não aguentou e gozou com força trincando os dentes pra não gritar e envolvendo minha cintura com os braços, segurando-me perto de seu corpo, respirando ofegante e deliciosamente. 

Tomamos banho juntos e enquanto ele vestia a roupa para descer, eu me maquiava e penteava o cabelo para encontra-lo depois. Entrei no salão e cumprimentei a todos, inclusive a ele, como se nada tivesse acontecido. E trocamos olhares durante toda a noite, em uma foda secreta, um segredo nosso, um gozo contido...
Marcadores: | edit post
O que você achou? 
6 Responses
  1. Tesão!
    Não tem outra palavra pra descrever esse post...

    Uma coisa nele me deixou preocupada, mas o resto foi só tesão!!!

    Hahaha

    Bjs, linda!
    Lia


  2. Daniel Says:

    Uhhh que delícia hein?

    Queria te pegar assim tb! hahahaha

    :P


  3. Tara Flux* Says:

    Liaaazinha, o que te preocupou, xuxu?

    Beijos


    Daniel, comporte-se! hahaha
    Beijos


  4. Daniel Says:

    Me comportar? rsrsrsrs

    Difícil hein? rs


  5. Ahhhh adorei o escrito menina..
    Beijocas


  6. Tara Flux* Says:

    Ahh, que bom, nega. Volte sempre. Beijos