Sedução
Eu ando precisando seduzir alguém. Mas aquela sedução avassaladora, sabe? Não aquela coisa contida. Aquela coisa de conseguir ver o nervsismo nos olhos do homem, o desespero de querer algo e saber que não tem permissão para tocar, de deixá-lo maluco, de ouvir horas de elogios e putarias que me deixam vermelha, de fazer charminho...

Preciso me sentir plenamente desejada de novo, cobiçada, enlouquecedoramente bela, estonteante. Houve um tempo em que as coisas eram assim. Eu tinha quem eu queria na minha mão, bastava um sinal e eles já estavam ali, a posots. Mas eu ando tão desanimada, largada de tudo, sem vontade de nada que o maximo que eu consigo seduzir é a minha cama (e eu ainda fco espantada dela nao me expulsar de cima dela).

Será que essa onda passa ou eu vou continuar sendo tiririca do brejo pra sempre, agora?

Beijos, pípol!
Marcadores: 4 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Sad
Yesterday I had one of the worst dreams of my life. And the worst part it´s the fact that I don't know if it was a dream or a warning. The feeling that something bad is on the air is making me extremely bad and there´s no such thing I can do about it.

I´m just tired it. The fear, the memories, I´m feeling stuck. Seems like I´ve been living the same life with no changes since I was born.
Some things that didn't affect me before now seems like a big storm. Things that used to matter a lot doesn't matter anymore.

And in the middle of all that I feel desperatly scared, tired and lonely. How long is gonna take for me get sick of all that shit and take control of my own life?

Kissesandhugs,

Someone who used to be T. Flux*.

Brilho
Meu pai hoje me deu de presente um brilho labial da Victoria's Secret com gosto de chiclete. Estava aqui com meus botões pensando...

Deve ser uma delicia coloca-lo na cabeça de um pau duro e ir espalhando com a lingua, massageando e deixando no ar aquele cheirinho doce.

Ai, ai... essa minha mente...
Marcadores: 8 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Why?
Why is that so hard for people to understand that I don´t get attached?
Marcadores: 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Comenta, vai?
Protagonizar, ler e não comentar não vale, né, L?

Fazer o que se eu sou carente por elogios quando se diz respeito aos meus textos... Vou cortar os privilégios, hein...

AHAHHA

Beijoselambidas, Flux*.
Primeiro passo.
A noite havia sido agradavel, tirando o fato do meu joelho ter doido muito o tempo todo e de um babaca ter dado um tapa na minha bunda quando saímos da casa de show. Deixamos o irmão dele em casa e depois ele me deixaria. Parados próximo à minha casa, conversavamos dentro do carro, trocando beijos e abraços, quando a conversa foi ficando cada vez mais quente e ele cada vez mais atiçado. Tudo bem que o meu vestido preto e curto não ajudava a situação a ficar melhor. Ele olhava para meus seios e minhas coxas e respirava fundo.

Não foi preciso mais do que dois minutos de conversa para as mãos dele abaixarem o bojo do meu vestido e a boca dele encontrar o bico do meu seio arrancando suspiros. De todas as formas ele tentou, mas ainda não tinha permissão para me dar prazer. Ele suava, não sei se de calor ou de nervoso e tirou a blusa. Passei a lingua no bico eriçado dele e fechando os olhos, recostou no banco do carro. Enquanto lambia e mordia de leve, passava a mão naquele pau duro que pulsava por baixo da calça, como um aviso de todo desejo guardado.

Quando menos esperei, ele abriu a calça e colocou pra fora, segurando com vontade, me olhando nos olhos. E eu não resisti. Passei a lingua na cabeça, encostei o piercing, ele gemeu. 'Ai, que delicia, que boca é essa!", era tudo o que ele conseguia dizer. Então eu suguei com vontade, sentindo a 'porrinha' transparente que eu tanto gosto fluir de encontro à minha lingua, sentindo o gosto dele... E eu sorri, na verdade rindo, enquanto ele perguntava o que foi e eu dizia nada só balanaçando a cabeça, com a boca muito ocupada. Enquanto chupava sentia meu sexo ardendo, pulsando, com aquele pau duro na boca, desejando a boca dele em meu seios, os elogios dele em meus ouvidos.

Algum tempo depois eu pedi que ele me desse seu prazer, que gozasse em minha boca, provasse que me deseja como diz... e ele fez. Não que isso prove nada, mas ele me deu o presente mais simples e valioso que se espera de um homem. Um pleno prazer proporcionado com a vontade de satisfazê-lo. Eu engoli seu prazer, beijou-me a boca e ficamos conversando até o dia amanhecer. Depois eu subi o elevador, com o gosto dele em minha boca e mais um passo avançado.
Marcadores: 4 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Despedida e explicações
A minha florzinha Jaque do À Deriva anunciou essa semana o fechamento do blog. Fiquei triste e mesmo discordando dos motivos, entendo. É complexo para algumas pessoas entender que nem todo mundo faz do sexo um tabu, e sim uma arte. Além de alguns engraçadinhos confundirem escrever sobre sexo e querer fazer sexo com eles.

Eu confesso que ando meio sem ânimo para escrever também. Achando todos os meus textos ruins (quem acompanha o blog há muito tempo vai perceber que a minha forma de escrever mudou nos dois contos que seguem), não sentidn mais o tesão que eu sentia para escrever, achando sinceramente que eu não consigo mais excita-los com minhas palavras.

Após quase três anos de blog eu fiz amigos, inimigos, descobri o que eu gostava, o que eu queria e o que eu não queria. Compartilhei partes da minha vida com vocês e tive um retorno maravilhoso, quando vocês compartilhavam a de vocês comigo.

Eu estou escrevendo isso pois anteontem estava conversand com um amigo o fato de pessoas confundirem o que eu escrevo e o que acontece. Escrever sobre sexo não me faz uma puta, só pra esclarecer. E NEM TUDO O QUE EU ESCREVO AQUI É VERDADE. Claro que eu salpico um pouco da minha vida por aqui, mas n maioria das vezes quando vocês acham que é sobre mim, não é, e isso causa uma impressão ruim.

Por que eu estou escrevendo isso? Primeiro para me 'despedir' da Jaque e dizer que eu vou morrer de saudade da minha gÊmea paulista de alma. Que mesmo ela morando em São Paulo e eu no Rio, nossa amizade é sincera e verdadeira. E depois para tentar amenizar a confusão na cabeça das pessoas. Já disse e repito: nem tudo o que esta aqui é, necessariamente, realidade. E mesmo que fosse, isso significaria apenas que a minha vida sexual é melhor do que a sua! Rs. (Não, eu não vou fechar o blog)

Não confundam as coisas. Eu amo escrever e amo ser quem eu sou. A Tara que escreve e a Tara que vive coexistem dentro de um mesmo corpo. Em algumas ocasiões elas aparecem juntas, em outras uma dá espaço para a outra, mas isso não me desabona como pessoa. Não quero que amigos que me conhecem pessoalmente façam um juizo errôneo pelo que lêem aqui.

São apenas confissões de uma mente perigosa.

Beijoselambidas, Flux*!


Ah, Jaquezinha, quando tiver saude, manda e-mail, liga, manda mensagem. E sinta-se à vontade para fazer deste espaço seu sempre que a vontade bater e você quiser postar.

Saudade de você, amiga! Se cuida!
Visitinha gostosa
Há tempos Fabiana estava enrolando para conhecer a nova casa dele. Caio, que estava dividindo apartamento com um amigo, todo dia reclamava da ausência dela, até que um dia resolveu tomar banho e ir. A porta foi aberta por ele com um sorriso imenso e um olhar discreto para sua boca. Subiram as escadas e foram para o quarto bater papo, já que alguns amigos estavam na sala jogando videogame.

Alguns momentos depois Caio estava deitado com a cabeça nas coxas perfumadas dela, puxando-a para perto, segurando seus seios. E isso a cada minuto mais inflamava seu sexo, mexia com seu corpo, acendia vontades que há tempos não sentia. E logo seu seio esquerdo estava na boca dele enquanto puxava sua cintura e encaixava seus corpos, mesmo com roupa, forçando-se contra ela. E Caio ficou ali um bom tempo deliciando-se, judiando dela, excitando, passando a mão, apertando, pedindo e implorando para que ela se entregasse a ele. Até que muito tempo depois ela vira  de bruços, puxa a orelha dele para perto e num sussurro diz 'eu quero que você coma meu cuzinho devagar'.



Não precisava falar duas vezes. Ele abriu a bermuda dela, foi puxando a calcinha e beijando suas costas, ela segurou aquele pau duro e direcionou para dentro de si, enquanto ele se forçava para dentro e ela segurava os gemidos. Quando o corpo dela se acostumou, começaram um vai-e-vem peculiar, unico, que só o corpo dos dois conhece, enquanto ela gemia, mordia o travesseiro e apertava a mão dele por cima de seus seios. E logo depois ele sentiu o corpo dela tremendo e sabia que ela havia gozado.



 Mas não era aquilo que Caio queria. Ele ansiava pelo seu sexo quente e apertado, seus gemidos constantes, seu prazer escorrendo como sinal de que ele lhe proporcionara um orgasmo pleno. Pediu, implorou que ela deixasse, até que ela deixou e de bruços mesmo, com a ansiedade tomando lugar da razão ele se meteu dentro das pernas dela, em seu sexo embebido de prazer, quente, molhado, apertado. Ele metia, ela gemia, ele mordia seu pescoço, segurava seus ombros, e ela gemia ainda mais, quando ela pediu que ele gozasse falando o nome dela. Ele concordou e meteu fundo, estocando mais algumas vezes e gemendo baixinho Fabiana no ouvido dela. Caio se deixou cair sobre as costas dela, que o recebeu com um ninho de cabelos cheirosos.

Ficaram assim por um tempo até que ela teve que ir embora. Ele a colocou no taxi, voltou pra casa e dormiu sobre o lençol que guardava  cheiro dela.
Marcadores: 7 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Fugidinha
A noite estava agradavel. Jantar no restaurante japonês com dois amigos, depois encontrar com uma galera num bar, por acaso, e ficar por lá rindo pra terminar bem a  noite. Mas, na saida do restaurante Rafaella já havia ligado pro PA para salvar a noite e ele respondeu que logo se encontrariam. 

O bar acabou rendendo tanto que Fernando, um dos meninos que Rafa ficava já estava bêbado fazendo com que ela se irritasse. E foi exatamente nessa hora que o celular dela tocou e o Diego salvou sua noite. O PA sabia exatamente como tirá-la de uma boa enrascada. Acabou inventando uma historia e foi embora encontrar com ele, com um sorriso de orelha a orelha, sabendo o que a esperava. 

Quando ele estacionou  carro e ela entrou, sentiu duas mãos segurando sua cintura, puxando-a pra perto e um beijo mordido no pescoço. Virou o rosto e tomou-lhe a boca com vontade, numa mistura de saudade e agradecimento por ela tê-lo tirado daquela mesa de malucos alcoolizados. Dois quarteirões foram o suficiente para encontrarem um lugar discreto. As palavras trocadas sobre trabalho, prefeitura e samba ficaram em algum lugar bem distante. O carro agora só tinha espaço para a respiração profunda dos dois e seus corpos. 
Rafa estava de saia, o que facilitava bastante as coisas, e enquanto ela chupava o pau dele com vontade, ele percorria seu sexo levemente com o dedo, às vezes entrando e sentindo a respiração dela parar, o corpo retesar... 

Então ele abaixa o banco do carro onde ela estava sentada e a coloca de bruços, puxando sua calcinha para o lado e penetrando fundo, com força, enquanto ela soltava um gemido alto e arranhava o banco do carro. Não demorando muito, ela goza com força, prendendo o pau dele entre suas pernas, gemendo, arranhando, sendo levada pelo prazer que ele a proporcionava. E algumas estocadas depois ele gozou também, segurndo-a pela cintura, puxando com força, cravando fundo e dizendo no ouvido dela que ela era deliciosa.

Pronto, a noite dos dois havia sido salva e o carro cheirava a sexo. Alguns momentos depois ela já estava em casa, tomando banho e querendo mais...
Marcadores: , 0 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Sumiço!
Gente, eu sei que ando sumida, mas nao estou morta. Amanhã eu estou de folga e prometo contar TUDO o que anda acontecendo a vocês, tá?

Morrendo de saudade disso aqui! Mas a falta de tempo esta complexa!
Marcadores: 1 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou? 
Réplica
Eu tinha outras coisas a postar antes, mas quanod li o comentario ridiculo que um anonimo fez no  post "De bruços, com força' eu fui obrigada a abandonar a minha veia erotica e replicar. Desculpe a quem nao tem nada com isso...


Querido Anonimo,

Claro que nem tudo gira em torno de sexo, meu amor. Estou bem ciente disso. O que acontece é que tem gente no mundo que consegue fazer do sexo uma arte, uma forma de ser feliz, de ser alegre e exteriorizar essa alegria.

Parece que temos opiniões divergentes, pois eu acho lindo falar de piru, de cu, de xoxota, de prazer, de SEXO.

Quanto ao quesito religião, eu tenho a minha e sou muito feliz com ela. Não interfere na minha vida sexual, muito pelo contrario. Quando eu estou em paz, meu sexo é leve!

Se eu tenho familia? Claro! Todos temos. Nunca vi ninguém nascer do buraco da fechadura, pois mais que tenha gente que pareça ter nascido, né?

Eu aprendi com meus pais a ser feliz, a nao julgar os outros, a nao dar opinião desnecessaria que possa vir a ferir alguem, que sexo nao é tabu, é parte da nossa vida e por isso estamos aqui.

Agora, pra finalizar, três coisinhas:

1: sua vida sexual deve ser beeem ruim, né?

2: Se você chegou até meu blog, nao foi procujando Jesus no google...

3: Se você nao esta satisfeito com o conteudo apresentado aqui, sinta-se a vontade para não retornar mais, ok?

Um beijo enorme, feliz 2011 e que neste novo ano vc consiga gozar plenamente, pois parece estar precisando!
Marcadores: 6 Comentários | Links para esta postagem | edit post
O que você achou?