Green Fairy - Final

No banho ele me beijava com carinho e vontade, eriçando meus pelos, atiçando minhas vontades. Desliguei a água e saí, dizendo para ele me seguir. Fiz com que ele se sentasse na tampa do vaso e sem ele esperar sentei sobre ele. Nossos corpos foram se encaixando, meu corpo se acostumando a ele eu rebolando devagar. Daí pra frente eu não podia mais resistir. Não havia mais a menor possibilidade de eu dizer não. E para a nooooooooooooossa alegria, eu não disse. 

Fomos para a cama e eu sentei sobre ele. Rebolei, sentei com força, devagar, apertei a bocetinha do jeito que ele gosta. Pedi que me comesse de quatro. Ahh, como eu adoro quando ele me pega de quatro com força, com raiva e bota tudo, como se o mundo fosse acabar, como se não pudesse se controlar... como se eu fosse uma putinha que merece tomar pica pra aprender a se comportar direitinho. Ele já prefere me ver de bruços, deitada, empinando a bunda enquanto ele se força pra dentro de mim e eu rebolo, gemendo baixinho, quase sem forças. E me pegando assim, de bruços, apertando minha cintura que ele gozou pela segunda vez na noite. 

Estávamos muito cansados da correria da semana, do stress que nossos dias haviam sido e dormimos um pouco. Acordei com ele beijando meu pescoço, apertando minha cintura, me dando um bom dia delicioso. Não precisou mais do que isso para que eu já estivesse sobre ele novamente, rebolando, com os bicos dos seios duros apontando para o alto e a boca dele tentando segurá-los. Meu braço passando por trás da cabeça dele, trazendo-o para mim e apertando nossos corpos um contra o outro. Ele pediu para que eu ficasse de bruços de novo, 'de gatinha' como ele diz, porque assim eu pareço uma gatinha manhosa e lá estava eu toda empinadinha novamente, com ele dentro de mim, me fazendo rebolar. Nessa hora eu não sei o que aconteceu. 

O carinho desapareceu e a próxima coisa que eu vi foi a mão dele segurando minha boca e a outra batendo com força na minha bunda. 'Rebola, piranha!' Ai que delícia! E eu seguindo as ordens do meu macho. Puta que se preza obedece e isso eu faço com vontade. Enquanto eu rebolava e ele metia, gozou mais uma vez. Gozou com força, apertando minha bunda, dizendo que não queria parar, que queria mais. E quem sou u para dizer não a ele? "Então continua, mete, vai!" "Rebola na minha pica, vai, putinha!" Rebolei, gemi, gozei. Como é gostoso senti-lo dentro de mim. Senti-lo gemendo, sentindo prazer e dizendo coisas deliciosas em meu ouvido. Me xingando, me chamando de gostosa, dizendo que me ama. Toda essa loucura e prazer na nossa cama, do jeito que sabemos, que gostamos e aproveitamos ao máximo quando estamos juntos. Seja com carinho, com tapas, com força ou devagar. E depois que eu gozei ele gozou também. Arfando em meus cabelos, jogando seu corpo sobre o meu, relaxando e recuperando as forças e eu fico lá, com o corpo colado no dele, contando as batidas de seu coração, me sentindo viva, me sentindo parte de alguém e sabendo que ele também é parte de mim. 

*As fotos foram roubadas (novamente) da Neguinha gostosa do Desejos Insanos

Beijoselambiidas, Flux*

Nenhum comentário:

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.