A safada pródiga.
Pois é, gente linda! Voltei depois de muuuito tempo. A verdade é que eu tinha esquecido senha/e-mail e andava com a vida meio pacatinha graças a um ser humano que fez questão de fisgar meu pobre coraçãozinho. Mas como a vida é feita de fases e fases acabam, o recesso de Capitu acabou! Viva! Agora vamos ao que interessa: sacanagem da boa. Vim contar pra vocês sobre a minha primeira experiência sexual com uma mulher. Se você não curte essas coisas, pode continuar a ler. Vai ser suave.






Bem, a pessoa em questão é uma amiga de alguns anos. Morena de cabelo liso, corpo esguio e tem 1,60m, mais ou menos. Nos conhecemos em 2009, estudamos juntas por dois anos e sempre falamos sobre a curiosidade de estar com alguém do mesmo sexo. Às vezes rolavam umas carícias danadinhas durante as aulas, mas coisa discreta. Depois de dois anos de intenso convívio, nos separamos. Em abril de 2011 ela foi a uma festa comigo. Cerveja barata, muita gente junta, música, tesão e curiosidade. A sorte jogava a meu favor e eu estava gostando. Foi aí que eu a puxei pelo braço e acabamos trancadas no banheiro pela primeira vez.
Sou muito dominadora. Acho que já contei isso pra vocês no post sobre BDSM. Tomei a iniciativa como se amanhã nada fizesse diferença. Senti aquele friozinho na barriga, o sangue pulsando no meio das pernas, os lábios tremendo de curiosidade. O primeiro toque dos lábios foi como um choquezinho. Recuei. Pensei em desistir, sair do banheiro fingindo ter sido só uma brincadeira.
Ela não deixou. Me beijou. Não foi o melhor primeiro beijo da minha vida, mas não foi nem de longe o pior. Minhas mãos percorriam o corpo dela com um desejo moderado, até que me dei conta de que ela estava de vestido. Alguma coisa animal saiu de mim e me fez agir como um homem. Minhas mãos invadiram o vestido dela, tocaram as partes que eu queria conhecer do corpo dela. A maçaneta sempre nos assustava. Depois da terceira ou quarta vez, saímos do banheiro enquanto eu ainda sentia a curiosidade me consumir.
Voltamos à festa e eu devo ter bebido mais umas 4 ou 5 cervejas antes de irmos a outro banheiro. Dessa vez, fomos mais longe. Propus um oral, ela topou. Eu, sinceramente, não sabia como fazer aquilo, mas nada que a tentativa não pudesse resolver. Quando dei por mim, estávamos num 69 cheio de descobertas. Línguas, dedos, mordidas, provocações. Éramos ótimas juntas. Ela tinha os seios mais bonitos que eu já tinha visto pessoalmente. Durinhos, do tamanho exato das minhas mãos. O corpo era bem proporcional, ela era sensual, o que tornou a experiência ainda mais gostosa. Me entreguei por completo a uma mulher com quem eu tinha intimidade e que me passava confiança. Foi uma delícia. 
Hoje ela namora, eu não tenho uma experiência homossexual há algum tempo, mas continuamos amigas... até segunda ordem. 


Beijos, queridos. 
Foi um prazer relembrar a experiência e voltar pra casa. 
Capitu

Marcadores: | edit post
O que você achou? 
6 Responses
  1. Tara Flux* Says:

    Capitu, querida, se inveja matasse eu já estaria enterrada desde ontem quando li isso!

    Beijoselambiidas, gostosa!
    Flux!


  2. Realmente... suave, sutil.
    Mas que deu pra esquentar aqui pode apostar que sim...rssss
    Bjlhões.


  3. You and Me Says:

    Concordo com a Tara Flux*
    Putsss que delícia e foi suave hem, imagina se não fosse hehehehe
    Simplesmente adorei, passei ate mau aki, simplesmente natural e delicioso. Meu sonho ai ai
    Beijossss e te seguindo espera ler outros desses rs ^^


  4. Tara Flux* Says:

    Linda, depois dessa vou até pedir pra Capitu postar por aqui mais vezes. Muito bom tê-la por aqui!
    Beijoselambiidas, Flux!


  5. Nego Says:

    Abril de 2011..... ahhh, dei mole!


  6. Tara Flux* Says:

    Não, não deu, nego. Esse texto é da Capitu, nao meu. E, infelizmente, não era eu que estava dividindo o palco com ela nessa atuação maravilhosa!

    Beijoselambiidas, Flux!