Eu sou vadia!
O machismo que permeia a nossa sociedade sempre me causou problemas. A mim e a Capitu. Ela já veio aqui uma outra vez fazer sua reclamação mas agora é a minha vez. 


Sabem, eu sempre fui puta. Sempre fui vadia. Desde que iniciei minha vida sexual aos 14 anos e posteriormente perdi minha virgindade com 15 sempre dei o máximo de mim para satisfazer os meninos, e depois, homens que tive ao meu lado. Sempre chupei, lambi, me deixei ser chupada, lambida, bati e apanhei.  Nunca tive pudores na hora do sexo. Talvez, por desde cedo sempre ter experiências com homens mais velhos que me ensinaram que nessa hora não se quer uma dama apenas, mas também uma vadia que saiba miar ou latir, se for necessário. 


Passaram homens na minha vida que souberam entender isso, outros não. Alguns me acham vadia demais, outros aproveitam isso para satisfazer suas vontades e as minhas. Entendam, não estou dizendo que sou vadia por sair dando que nem chuchu na serra. Digo que sou vadia, mas sou vadia de um homem só, sou vadia porque não meço esforços para dar prazer a quem divide a cama comigo, seja ser uma putinha recatada que geme baixinho ou a piranha que geme alto e com força. E mesmo que fosse vadia de dar para muitos, ninguém tinha nada com isso.

Eu sou dessas que fala o que quer e fala de sexo. Sim, eu falo de sexo. Falo com meus amigos, com meu namorado, de vez em quando até com meu pai. Falo até aqui no blog, não é mesmo? Comecei isso aqui por mim, com meu próprio esforço, fuçando daqui, dali e esse mês o blog completou 5 anos. Comecei pois precisava colocar pra fora o que estava preso e queria sair. Esse é o meu espaço de falar o que eu quero, como eu quero, pra quem eu quero. E quem me lê nem sabe quem eu sou e gosta, curte ou corrobora com as coisas que eu escrevo. Às vezes por interesse (e levam logo um corte), outras porque simplesmente gosta de como ou o que eu escrevo e vem aqui dar uma olhada de vez em quando ou de vez em sempre. 

Em meio a isso eu fiz amigas, amigos, leitores fiéis que sempre me mandam e-mail pedindo conto, perguntando se está tudo bem comigo, reclamando quando eu sumo. E assim eu vou continuando vadia, vou continuando puta, vou continuando sem vergonha. O sexo para mim é um pilar de um relacionamento. Não que eu não saiba viver sem sexo - senão eu não teria iniciado esse blog, que começou após uma promessa aos 17 anos de ficar um ano sem sexo -  mas o sexo para mim é também um momento de extrema entrega e intimidade. É um momento sem amarras [ ou com amarras, ui!] , sem pudores, sem mimimi's. É conhecer o seu corpo e o corpo de quem está ao seu lado, é passar horas explorando cada centímetro do outro e se permitir ser explorado, é conhecer sentidos, sabores, desejos que até então não se sabia que tinha. 

Sexo não é tudo, mas é sim importante, tanto para homens, quanto para mulheres. Mulheres também leem sobre sexo, também pesquisam, também veem filmes pornôs, entram em sites de sacanagem e - pasmem - também se masturbam com tudo isso. Embora eu tenha lá minhas dificuldades, tenho amigas que se deixar se masturbam 4, 5 vezes em um dia. E isso não faz de mim ou delas menos respeitáveis, muito pelo contrário.

Então, homens, meus queridos, respeitem a puta que existe em cada um de nós. Se nós falamos putaria com vocês, é porque nos sentimos à vontade para isso. Que bom que é assim! Se eu escrevo putaria aqui é porque eu gosto, porque eu quero, porque eu posso. Se eu ou sua mulher gememos alto, gememos baixo, não gememos, batemos ou apanhamos é para realizar tanto o desejo de vocês, quanto o nosso. Se colocamos de lado todos aqueles valores antiquados que tentaram enfiar em nossa cabeça quando estamos ao lado de vocês, façam-se dignos disso. Respeitem isso! Foi-se o tempo que era necessário ter uma santa em casa e só comer puta na rua. Agora vocês têm a chance de ter uma lady na rua e uma puta em casa. Aproveitem a oportunidade que se coloca à frente de vocês da melhor forma possível - seja com fetiches, com conversas, com sms e emails safados enquanto estão no trabalho ou da forma que achar melhor. Mas não rotulem ou menosprezem suas mulheres por terem uma sexualidade aberta, presente e forte. Usem tudo isso a seu favor. Porque não exista nada mais chato na terra do que mulher mal comida e se você não está comendo bem, alguém vai comer. 



Foi só um desabafo de uma mente perigosa!

Beijoselambiidas, Flux!
Marcadores: | edit post
O que você achou? 
1 Response
  1. Daniel Says:

    Muito bom o texto!

    Eu sou a favor da putaria! E a mulher pra mim quanto mais puta, melhor! Não tenho preconceitos e acho uma palhaçada o cara achar ruim isso. Temos mais é que aproveitar tudo mesmo!

    beijooo