The unbearable lightness of a night...
Ela estava nervosa. Infinitamente mais nervosa do que na primeira vez dos dois. Seria um recomeço, a primeira noite efetiva como um casal e isso assustava e ansiava. No caminho foi tentando imaginar um milhão de coisas que seriam a cara dele. Luz de velas, pétalas de rosas... mas nada disso importava. Poderiam estar deitados no chão frio da sala dele, mal iluminados, sem comer desde que estivessem abraçados. 

Na TV passava O Senhor dos Anéis, que assistiram juntos, abraçados. Ela quis comer. Foram para a cozinha juntos e enquanto ele preparava aquele lindo Capelletti ao molho branco ela estava sentada à mesa da cozinha observando. Levantou-se a pediu a ele uma blusa emprestada. Ele emprestou uma camisa azul marinho que cobria levemente o início das coxas dela. Calcinha cor de rosa, meias e cabelo preso. Parecia uma menininha, ela achava. Para ele, parecia a presa perfeita. Com ternura (e ela cheia de pressa) dividiram o mesmo prato. Ele queria alimentá-la, ela queria engolir o prato todo. Fazer o que se estava bom? 

Acabaram de comer. Ela escovou os dentes, deitou sobre ele novamente. Se cheiraram, morderam, mas tudo de uma forma singela, cheia de carinho, de amor. Beijos, abraços, lembranças. Sherlock Holmes atravessava a tela tentando descobrir os mistérios que ainda estavam por vir naquela noite. A Fúria dos  Titãs 2 é liberada na penumbra, em meio a concatenações da Grécia Antiga. Ainda abraçados, o temo passava. 

Banho juntos. Ele ensaboava a pele dela com cuidado e carinho, abraçando, beijando, amando. Queria tomá-la para si, mas ela queria calma, queria tempo. Nada daquelas sessões de amor adolescente onde o mundo parecia querer acabar. Naquela noite ela queria ser mulher dele, em todos os sentidos. Queria sentir cada toque, cada pedaço do corpo, cada estímulo como se fosse a primeira vez. Ele saiu do banho, ela pediu que ele esperasse no sofá. Saiu vestindo uma roupa de dança do ventre verde. 

A expressão dele foi
surreal. O tempo poderia parar ali, só pra que ela pudesse deixá-lo com aquela expressão todos os dias. Um misto de excitação, admiração, veneração, amor e vontade de arrancar tudo aquilo e fazer amor com ela. 

E o que você acha que aconteceu? Já, já tem mais... 









Marcadores: | edit post
O que você achou?