Eu gozei sozinha!

Briga de casal sabe como é, né? Ele foi dormir mais cedo e eu fiquei na sala vendo TV. Tomei um banho bem frio pra ver se o fogo abaixava e de nada adiantou. Parti pro ataque. Abaixei a samba canção dele e cai de boca. Aquela chupada que faz qualquer homem perder a linha. Lambi as bolas, chupei, passei a lingua devagar na virilha. Ele acordou mas não abriu os olhos. Ficou quietinho só curtindo.

Depois sentei de perna aberta na cara dele. A língua dele brincava no meu grelo e chupava com vontade, mordiscando, daquele jeito que eu gosto e ele sabe. Gemi baixinho com o rosto encostado na parede e quando a vontade falou mais alto voltei pro pau e sentei devagar. Rebolei, quiquei, sentia ele escorregando pra dentro de mim e batendo lá no fundo. Ele se animou e foi estocando rapido e fundo, segurando firme minha cintura enquanto eu gemia e mordia o pescoço dele.

Voltei a rebolar devagar e roçar o grelo sentada na pica. Quando faço isos ele num guenta. Não bastou três sentadas e ele gozou. Muito puta da vida eu levantei e fui pro banheiro fazer xixi e me lavar - como sempre depois da foda. Porra, eu tava cheidiodio, louca pra fuder, louca pra gozar, cheia de energia e com insônia. Fui lá resolver meu problema e resolvi o dele e fiquei na mão. Puita eu estava, puta sentei no vaso. Xixi maneiro, chuveirinho na mão. Foi quando o mundo parou de girar por alguns minutos. Aquela agua batendo certeira no cantinho do grelo onde sinto mais prazer. O grelo inchado, o corpo respondendo, as pernas tremendo e uma sensação magnifica de que meu corpo ia explodir. E explodiu. Eu gozei gemendo alto, muito alto, com a mão apoiada na parede e quase caindo no chão.

Fui me recuperando do impacto e rindo, relaxada, pronta pra dormir. Mas ainda não tinha acabado. Conforme eu ia me lavando e sentindo a agua fria contra meu sexo quente, mais prazer eu sentia. E quanto mais prazer eu sentia, mais a cabeça rodava e as pernas tremiam. E eu gozei de novo. Gemendo, chorando. A sensação de que meu corpo tinha explodido em mil pedacinhos e isso havia me deixado muito feliz e relaxada. Tão relaxada que eu chorava e explodia de felicidade.

Por que isso foi tão importante? Porque eu nunca havia conseguido gozar sozinha. Eu gosto muito de penetração, sabe? Pau dentro, com força. Corpo no corpo, respiração ofegante, tesão a dois. É muito raro eu gozar com estimulo externo, sozinha nunca havia acontecido. E aconteceu. Eu me libertei.
E por isso estou muito feliz e me sentindo muito mulher. Vou até correr ali e tentar de novo. Beijos, gente. Depois eu volto.

Um comentário:

Conde Vlad disse...

AHHAHA, adorei o relato. Para nós homens isso é tão comum e banal. Uma punhetinha e o gozo vem fácil. AHUHAUHA Mas imagino a dificuldade que deve ser para algumas mulheres que sabidamente tem uma criação deverás puritana e tal. Enfim... As mulheres tem uma criação mais rígida mesmo quanto a isso. Legal que você se descobriu. rsrs.. Quanto mais vezes praticar, mais achará um ponto certo para aliviar a pressão da vontade.

Beijo.

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.