Comemoração ou desejos de um sábado a noite.

Estavam comemorando um ano morando juntos. Um ano de intempéries e desafios, que por si só deveria ser comemorado.

Ele planejou uma noite épica. Comprou cervejas e colocou pra gelar. Depilou o pau deixando do jeito que ela gosta. Separou a gravata, a venda, o anel vibratório, o vibrador e aquela cueca que ela ama. A playlist já estava pronta pro momento em que as coisas esquentassem.

O bebê dormiu, Hora da diversão. Beberam, assistiram um filme. Ele ligou o som e começou a dançar pra ela. Ela ria, feliz, leve, realizada. Ele anda pela sala e beija a boca dela, como há muito não fazia. Com vontade, como se no beijo quisesse sugar a alma, invadir o corpo, dividir a mente. A mão desce escorregadia pelo corpo e aperta devagar o peito, enquanto a boca desce abusada pescoço abaixo. E continua descendo. Passeando pelo colo, lambendo o bico do seio no limite do sutiã, buscando o bico quente, mas guardando o melhor pra depois.

Continua descendo pela barriga, beija as coxas, passa pelo joelho até chegar nós pés. E lambe os pés. Chupa o dedão do pé dela como se fosse a coisa mais gostosa, sentindo o corpo dela tremer enquanto ela fecha os olhos e joga a cabeça pra trás, sentindo aquela chupada como se fosse num lugar mais quente, mais úmido. Sobe o corpo e beija a boca dela novamente, que já sente o ventre pulsar, os bicos rijos, o sangue quente.

Ele a pega pela mão e leva pro quarto. Lá, acende a luminária e acende um incenso se rosas vermelhas que pegou na gaveta dela, demonstrando que pensou em cada detalhe daquela noite especial. Deita ela na cama e pega a gravata. Amarra os punhos dela e coloca a venda, depois beijando-lhe a boca com vontade e carinho, na medida certa entre o tesão e o amor. Beija cada pedacinho do corpo dela. Chupa os dedos das mãos, vai descendo pelos braços, chega nos seios.
Lambe cada bico delicadamente, suga devagar, vai aumentando a pressão até ouvi-la gemer, enquanto as mãos apertam a cintura daquele jeito que ela adora. Enquanto isso, a mão desce até o grelo. Sim, o grelo, porque ela adora essa palavra.

Ele toca devagar e quando chega a fenda ela já está encharcada. os dedos afundam no liquido do prazer e ele os leva a boca, sentindo o gosto, inundando seus sentidos, e dividindo esse sabor com ela. Beija-lhe a boca e desce novamente, desta vez, passando direto pelos seios. beijando a barriga, brincando com o umbigo. mordendo o topo das coxas, brincando com a língua. Vai descendo e mordiscando as coxas, caminhando em direção ao sexo. Até que chega lá. E só com a respiração dele ela estremece. Passa a lingua devagar na fenda encharcada, suga o grelo devagar, enfia a lingua lá dentro. O dedo segue o caminho, entrando fundo, devagar, ao passo que ele chupa o grelo e ela geme alto.

Ela não aguenta. Suplica, pede, implora que ele meta fundo e a faça gozar. Ele bate no rosto dela e diz que só vai meter quando ele quiser, quando ela merecer e continua a tortura chupando o bico do seio enquanto aperta o grelo entre os dedos. O desespero toma conta, ela se debate na cama. Diz que está perto de gozar, que ele continue. Então ele para e ela não sente mais o corpo dele encostando no seu. A próxima coisa que sente é o pau metendo fundo de uma só vez, enquanto ela geme alto.


As estocadas continuam. e continuam até que todo o corpo começa a tremer, as pernas falharem, a respiração arfar e ela goza com força, com um grito abafado na mão dele, enquanto ele mete cada vez com mais vontade.
Quando ela menos espera, ele a vira de bruços e agarra sua bunda, apertando, lambendo o cuzinho e gemendo. A lingua passeia devagar aumentando o ritmo e intensidade. E sem que ela espere, ele tira a lingua e enfia o pau na boceta molhada, escorregando pra dentro, segurando o cabelo dela com uma mão e fechando a boca com outra.

Mete fundo, rebola, geme, fala as mais deliciosas putarias no ouvido dela até que ela não aguenta e goza de novo. E só por ouvi-la gozar, ele enche aquela boceta de leite, que escorre pelas pernas enquanto ele descansa o corpo sobre o dela.

Mas a noite estava só começando, não?

Nenhum comentário:

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.