O fim da ladainha!

Isso é, provavelmente, a coisa mais difícil que eu já tive que escrever, mas em um último ato de melosidade existente em mim, talvez valha a pena.
Você me fez descobrir o quão intensa eu posso ser. Aliás, o quão fria eu não precisava ser. As coisas foram acontecendo e por uma fração de segundo eu me entreguei. Não sei se no momento em que estávamos na cama ou se foi a distância, mas isso realmente aconteceu. Eu procurei por todas as desculpas esfarrapadas que minha mente devaneante poderia encontrar, porém, a única que encontrei para o que estava sentindo era que eu deveria estar terrivelmente apaixonada por você. Isso era ruim, muito ruim, tendo em vista que eu sou racional e não me dou a arroubos de paixão.

Por muitas vezes eu te xinguei, chorei, sofri e quis que você estivesse ao meu lado, mesmo sabendo que isso não seria possivel.
Você já sentiu isso alguma vez na vida? Uma coisa tão forte e angustiante dentro de você que parece que seu coração vai pular pela boca e dói, dói como nenhuma dor já conhecida por meu corpo desgastado. Os socos recebidos na aula de muay-thai, as dores no corpo causadas pelas horas de ensaio de dança, nada se compara. É uma dor que vem de dentro e sobe rasgando a alma, impedindo a respiração de fluir. A vontade é de gritar, chorar, sair correndo ou nada disso, simplesmente estar ao seu lado.

Por duas vezes eu quase desmaiei, vendo que era meu corpo querendo desistir da luta contra essa dor agoniante, mas meu cérebro o forçou a se manter de pé, presenciando as lágrimas saltarem de meus olhos e a razão massacrando minha face, mostrando-me que eu deveria sofrer e passar por tudo isso, já que eu não era digna de amor... Não conseguia me olhar no espelho por mais de dez segundos, indignada pela pessoa fraca que eu havia me tornado.

Como eu já disse anteriormente, não sei em que momento isso começou. Sei simplesmente que um dia eu acordei, você foi a primeira coisa que me veio a cabeça e suddenly, lá estava a dor.
Há muito tempo atrás, o mais difícil era assumir a saudade pra você, hoje, o mais difícil é assumir a saudade para mim mesma. Saber que eu sinto imensamente a sua falta, mesmo sabendo que não devo. Sinto falta de seu cheiro, sua risada ridícula, sua respiração no meu pescoço, suas mãos que cabem perfeitamente em meus seios, das minhas pernas tremendo quando você me fez girar unicamente em sua órbita, passar os dedos entre os seus cabelos e ter que ouvir você me colocar no eixo quando eu tento ser perfeitamente idiota. Em suma, sinto sua falta. Eu preferia não sentir, eu não queria sentir, mas infelizmente, saudade é incontrolável.

Um dia alguém me escreveu dizendo que "o amor é um sentimento ridículo que faz as pessoas andarem nas ruas com sorrisos ridículos e sentirem frios intensos na barriga". Não poderia concordar mais, acrescentando que vem acompanhado de saudade.
Eu nunca te quis só para meu prazer. Divido bem as coisas, não sou egoista ou ciumenta, porém, avançamos o limite. O limite de confiança, de distância, de desejo... Cruzamos a linha tênue entre o estar e ser. Estávamos juntos, nos momento em que estávamos um ao lado do outro, mas não éramos nada além disso.

Está se tornando muito chato escrever sobre isso. A não ser que eu tenha alguma inspiração devastadora, não serás mais fonte de inspiração para textos chatos e entediantes. Um dia você me disse que, quando mais novo, escrevia poemas. Prometeu mostrar-me um dia. Aqui estão não minhas rimas ricas ou pobres, mas minhas palavras mais sinceras, cheias de dor, lágrimas, saudade e ódio. Ódio que eu sinto por ter me permitido mudar tanto assim por alguém que não vê isso.
Desculpe se eu amo você, se eu amei você, se eu sempre amar você.

~> Difícil é dizer “Eu te amo” por que com palavras sempre falta algo mais para definir o que eu sinto.

~> Metade de mim agora é assim, de um lado a poesia, o verbo, a saudade. Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar ao fim..


{Sexy, fique tranquila. Voltei a ser quem eu sempre fui. Homens, cuidado, a temporada de caça está aberta e o animal abatido será levemente torturado! xoxo, Hot girl}
Marcadores: | edit post
O que você achou?