From dusk till dawn




Chegou tarde,porém linda.
Um pouco de dor de cabeça,é verdade.
Mas ainda assim,extremamente bela.
Eu,que já havia ficado nervoso por tê-la visto na sexta trajando um longo e cachinhos,quando a vi ao vivo,não resisti.
Na cozinha,local de nossas mais complexas brigas,eu simplesmente a tomei em meus braços.
Beijos.
Mãos.
Tudo ficando quente.
Tentando segurar a onda,papos,risadas.
Tudo em vão.
De tempos em tempos,eu a chamava para mim,pra que seu corpo que me pertenceria aquela noite,estivesse o mais próximo possível do meu.
Jantamos.
Ela cozinhou para todos nós.
Vinho,risos e Playboy tv.
O anfitrião logo se recolheu (praxe).
O Mestre,envolto em seus problemas,se recolheu ao mundo virtual para falar com a atual(ex) namorada.
A Loira,a mesma do conto anterior,foi ler.
Dando boa noite,nos dirigimos ao quarto do "Rei".
Qualquer elogio não faria jus à ela essa noite.
Ela simplesmente ERA.
Pesando sobre seu corpo,buscava sua boca e me desvencilhar de suas roupas.
Os seios logo saltaram,firmes,morenos e saborosos.
Brincando com o direito,sugava,mordiscava e abocanhava todo,arrancando gemidos e sussurros...
Aos poucos,ela foi me deixando tirar sua calça,revelando uma lingerie sexy e delicada.
Adoro rendas.
Deixando-a extremamente excitada,a ponto de fazê-la colocar as mãos no rosto,tipo:
"Meu Deus,eu não posso resistir mais",ela simplesmente me pediu.
"Me dê 5 minutos".
Fui tomar banho.
Quando voltei,ela estava tranquila.
Apenas de toalha,me deitei ao seu lado,buscando sua boca e seu corpo.
Guiando sua mão,fiz com que sentisse meu pau duro,livre de qualquer impedimento.
Buscando seu sexo,fui aos poucos sentindo que ela desejava me ter o mais rápido possível dentro de si.
Excitada,ela finalmente cedeu.
Me ajeitando,eu disse:
"Eu quero gozar dentro de você...quero que sinta todo o meu prazer aí dentro"
Ela titubeou,eu avancei.
Apertada,aos poucos eu ia me colocando dentro dela,suas mãos em meus braços,seus olhos fechados.
Nosso ritmo é esse.
Vamos de "amorzinho" à estocadas fundas,intensas.....
Ela goza.
Logo é minha vez e eu simplesmente desabo.
Arfando,buscando o ar,eu simplesmente afundo a cabeça no ninho de seus cabelos cheirosos.
Frases ditas no escuro do quarto.
Nossos olhos se cruzando.
Um pouco mais de intimidade.
Perdemos a noção da hora.
Às 5 da manhã,fomos tomar banho juntos.
Na sala,nosso amigo ainda acordado,continuava na saga.
Banho quente.
Costas esfregadas.
Tranquilidade quebrada apenas com o cair da água e o cair de boca dela em mim.
Ela sabe que eu perco muito quando,ajoelhada,abocanha meu pau e se toca gentilmente.
Metendo um pouquinho só,eu peço:
"Vamos pra cama"
Ela sorri e concorda.
Eu a seco ,desde os ombros até os tornozelos.
De volta ao quarto,mais toques,carícias.
Ela me pede água e coca cola.
Trago isso,vinho e chantilly.
Deitada de costas,ela não percebe.
Quando eu derramo vinho em suas costas e bebo de sua taça...
Bebo nas costas,bebo no reguinho...
Busco,na escuridão do quarto e na clareza dos sentidos,um modo de captar todo o prazer possível e canalizar para ela.
Chantilly.
Surpresa,apenas solta um "filho da puuuuuta" quando começo a espargir o doce sobre seu bumbum delicioso.
Lambo,chupo....
Coloco em seu rego.
Mesma coisa.
Ela se empina.
Passo a língua e vou buscando seu cuzinho.
Virando-a de frente ,finalmente coloco em sua bucetinha.
Caio de boca,lambendo,chupando e mordiscando devagar seu grelinho rosado.....
Ela se contorce,o prazer dando claras mostras de estar ali,sendo quase palpável.
Sem mais ,ela me pede:
"Quero você dentro de mim...faz amorzinho comigo.....
Mais uma vez,posicionado,meto de leve e do nada,acelero.
"Não pára, goza comigo" ela implora.
Meto mais fundo....
Mas ainda não era hora.
"Quero que você me chupe" eu peço.
Ela se levanta e começa a passar a língua macia em mim.
Engolindo,me tocando...
Perco a linha e a compostura...e se tivesse mais o que perder eu fatalmente perderia.
Cavalgando,ela dança.
Rebola.
Me olha.
Domina toda a situação.
Na fodinha ou na metida,ela é a senhora de todo o meu ser naquele momento.
Depois de algum tempo,ela me pede...
"Quero que você coma o cuzinho da sua ninfetinha".
O dia era claro quando eu me guiei devagarinho dentro dela.
Me chamando para dentro dela,ela me segurava por trás...
Rebolando...
Sentindo meu pau penetrar sem pressa,mas com vontade.
Abraçados,finalmente ,sol à pino,descansamos.
Ela em meus braços,eu nos dela.
Minha consciencia se esvaía.
O Sol,há muito,despontara no horizonte.
Mas ainda não havia terminado.

Um comentário:

duda disse...

adoro rendas...

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.