E acontece quando a gente menos espera...
A viagem é sempre relaxante. Ou não. Na maioria das vezes venho vendo um filminho, escrevendo ou olhando a paisagem. Nunca olho para ninguém, nunca converso com ninguém. Desta vez foi diferente. Uma pergunta ao fiscal fez com que começassemos a conversar. Papo vai, papo vem, ele acabou sentando ao meu lado. Um sorriso lindo, barba por fazer, óculos, aquela cara de safado que me instigou instantaneamente no escuro do ônibus. Uma das conversas mais agradáveis e interessantes que eujá tive em toda a minha vida.
Ele, professor. Eu, estudante. Ele gosta de pesca, conversar, capuccino e chocolate. Ah, gosta de olhar a lua da janela de casa também. Lua, bendita lua. Olhando pela janela eu comentei:' nossa, a lua está tão linda.' Ele respondeu que de onde ele estava não daria para ver, só se chegasse mais perto de mim. E então chegou, praticamente debruçou-se sobre mim e não conseguiu ver a lua. 

No momento em que passou na minha frente, seu cheiro bom alcançou meu nariz, e foi instantânea minha constatação em alto e bom tom. Ele riu, dizendo que havia tomado banho apenas no dia anterior, mas que o sabonete era bom e ficava com cheiro prolongado. Perguntou se o meu sabonete era bom também e se poderia conferir. Fiquei nervosa, sorri e virei o pescoço de lado e ele encostou o nariz e os lábios de leve no meu pescoço, arrepiando meu corpo inteiro. 'Hummm, que cheiro bom você tem! Meu Deus, o que é isso? Sabonete, perfume?' Rindo muito contei o segredo. Ele pediu para me cheirar de novo e perguntou se eu não poderia compartilhr um pouco do meu cheiro com ele. 


Quando reparei nossos rostos já estavam colados e nossos olhos grudados um no outro. A vontade era palpável e não deixamos que ela passasse. Ele segurou meu pescoço com uma mão, aproximando meu rosto do seu e enconstando sua boca na minha. Boca macia, lingua molhada. Logo estávamos em um beijo intenso, mas ao mesmo tempo... calmo. Ele disse que minha boca era perfeita e meu beijo delicioso. Eu o chamei de louco e ele disse que éramos dois. Depois tentou ver a lua e conseguiu, enquanto beijava meu rosto e acariciava meu pescoço. Disse que a lua realmente estava linda, mas que ela poderia ter 'aparecido antes'.

Beijos, abraços, risadas. Ele deitou em meu colo e ficou ouvindo meu coração bater. Disse que estava acelerado e que o dele também estaria. Mais beijos, mais abraços e eu me sentindo puta, besta e nem ligando para isso. A boca macia dele desfazia minha linha raciocínio. Sua mão em minha cintura enquanto a outra segurav meu pescoço e trazia mais para perto de si...

Chegou minha vez de descer. Ele pediu meu telefone, disse que queria que eu pudesse ficar mais e me deu um beijo macio de despedida. Agora, enquanto escrevo, ele deve estar dormindo dentro do ônibus, aguardando a chegada em seu local de trabalho. E tudo o que eu queria era estar sentada ao lado dele, mesmo que fosse só conversando.

Mais do que sete minutos, foram três horas intimidades descritas em palavras que nem um beijo poderia descrever.
Marcadores: | edit post
O que você achou? 
4 Responses
  1. Aragorn Says:

    Baita sortudo...
    Ai se a inveja matasse,o Rei caia morto e fedendo...



  2. Aragorn Says:

    3 horas de beijos macios,sentir o coração e muito mais interessantes que míseros 7 minutos.


  3. Tara Flux* Says:

    O senhor é que está classificando como mais interessantes...
    No entanto, foram apenas 7 minutos de beijos comportados e não um sexo ardente como a que se refere...