O ponto "G"

Desmarquei com Elaine.
Não tava muito afim de aturar lero-lero de mulher largada.
Não ia me dar mesmo aquela sexta.
Ótimo.
Pelo menos,ficaria em casa.
A "visita" ( era de casa,claro) chegaria mais tarde.
E veio.
Havia me dito,no msn,que tava carente e queria cuidados.
Eu prometi que faria suas vontades.
Chegou,beijou aos integrantes do lar.
Sentou-se ao meu lado.
Me deu um grande e apertado abraço.
Seus cabelos lisos e finos,um arraso.
Cheiroso,brilhante.
Papo vai,papo vem.
"To com frio."
Coberta,colocou suas pernas,de saia curta,sobre as minhas.
Minhas mãos,um pouco leves,percorreram suas coxas,buscando seu bumbum grande e branquinho.
Puxando a calcinha,fazendo com que se tornasse quase um fio dental,eu apertava,acariciava,enquanto ela se ajeitava,buscando o contato com meu corpo.
Todos na sala,ninguém efetivamente nos olhava.
Primeiro, a Loira brincou:
"Vocês 2 tão namorando,é?"
Risos,olhares.
Deu boa noite,o marido foi pro banho,saiu e despedindo-se,se foi.
Ficamos no sofá,com "Sandrinha" no outro.
Clima esquentando,puxei pelo pescoço.
Sua boca,pequena,foi coberta pela minha,sua língua convidando a minha para um balé secreto.
Ela sobe em mim,tendo minhas mãos em suas costas e minha respiração pesada e quente em seu ouvido.
Se contorcendo,ela finalmente se solta,ficando relaxada.
"Tenho de ir embora" ela me diz.
"Vem ligar aqui no quarto" eu convido.
Ela chega,olhando para trás,temerosa,e se encaminha até os aposentos reais.
Já abraço,beijo e ,mais uma vez,suspendo sua saia,buscando acariciar e apertar sua bunda gostosa.
Nos beijando,eu a empurro em direção ao armário,suspendo seus cabelos e mordo sua nuca,descendo devagar pelas costas.
Ela estremece e,virando para mim,deixa com que eu coloque seu peito branquinho lindo na boca.
Chupo devagar,ela vai se deixando levar,mas na última hora,se recompôe.
Eu me sento.
Ela senta comigo.
Nos beijamos ,mais uma vez e ela monta em mim novamente.
Continuo chupando sua língua,seus seios....
Deito seu corpo de maneira gentil.
Ela obedece.
Beijando,logo peso.
Suspendo,mais uma vez,sua saia.
Quero q ela sinta o quanto me excita.
Brincando de rebolar ( modéstia à parte,sou bom nisso) fico dando "estocadinhas" de leve,enquanto levo meu polegar à sua boca.
Ela chupa,me dando a prévia de que aquela boca pequenina vai ser capaz de fazer milagres.
O telefone toca,no auge da pegação.
Ela me olha,desolada,mas bem alegre.
"Eu tenho de ir...e estive a milímetros de ignorar Sandrinha e ligar o foda-se".
Levo até o taxi.
Beijos.
Ela se vai.
Eu subo.
Com a certeza absoluta de que,quando nos encontrarmos novamente,só Deus sabe o que vai acontecer.
Curioso ao extremo.
Em busca do ponto G.
| edit post
O que você achou? 
1 Response
  1. Este post foi publicado na nossa sessão semanal de links.
    Abraço!