Até o amanhecer

Se eu disser que SINTO FALTA dele eu vou estar mentindo na cara dura. Não sentia saudade dele enquanto namorávamos, quem dirá hoje. Sabe aqueles casais que não têm absolutamente nada em comum e que seriam muito mais felizes separados? Pois é, assim nós éramos. Parecíamos mais amigos do que namorados. Gostavamos de brincar, ver TV, mas o sexo que é bom não era muito presente. Acontecia, mas com rara frequencia. 

Hoje em dia, três anos e meio depois que terminamos, continuamos amigos. Mas amigos mesmo. Não é aquela coisa de passar na rua e dar sorrisinho falso. Ele frequenta minha casa, dorme aqui, minha mãe o adora. Mas nossos destinos estavam fadados a ser sempre apartados. Se não por nossas personalidades, por nossas ambições. Ele está feliz em sua humilde vida e eu quero sempre muito mais. Sem contar com o fato de que eu gosto de homens vividos, com alguma experiência de vida, que possam dar conselhos, compartilhar histórias, comemorar vitorias. E ele não é absolutamente nada disso. É acomodado e eu ODEIO gente acomodada. Sem contar na falta de cultura, o que fazia com que não tivessemos muito assunto. Desculpe, posso estar parecendo grosseira, mas era exatamente isso que acontecia. 

De um jeito ou de outro, ontem ele veio me visitar. Saí do banho de toalha e ele estava sentado no sofá conversando com minha mãe, esticando olhos compridos para me ver. Deu um 'olá' e um sorriso, me tirando de cima a baixo. Coloquei uma roupa, minha mãe saiu, ficamos na sala ouvindo música e fazendo coisas no notebook. Descemos, comemos alguma coisa, voltamos e vimos filme. Assim, como bons amigos. O filme acabou e fui para o meu quarto arrumar a cama pro boneco deitar. Acabamos ficando na cama acordados conversando enquanto eu fazia uma 'quase' limpeza de pele nele e quando vimos já eram quatro da manhã. Se ele dormisse, não ia trabalhar. Decidimos ficar acordados. 

'Pedi uma massagem nas costas e ele não negou. Sentei no chão à sua frente, para ficar mais bixa já que ele estava sentado na minha cama. Sua mão pesada apertava toda a extensão das minhas costas, pescoço e cintura. Eu acabei relaxando, talvez mais do que deveria, e quando ele segurou minha cintura com as duas mãos e forçou-as, um gemido manhoso escapou de minha boca. Ele, que é novo mas nã é bobo, viu o efeito que tinha causado e continuou para ver até onde aquilo iria. Cada aperto que ele dava arrancava um gemido e uma respiração ofegante de mim. Logo ele mordeu meu pescoço, mordendo o apenas lóbulo de minha orelha de leve e aumentando a pressão em minha cintura. E foi mordendo meu pescoço enquanto sua mão descia pela frente de meu corpo, apertando meus seios levemente e dirigindo-se ao meu sexo. Transpassou minha calça e minha calcinha, tocando meu sexo com o dedo levemente e mordendo meu pescoço.

E assim, sem pedir permissão penetrou-me com seu dedo, lambendo e mordendo meu pescoço, segurando-me colada ao seu corpo, entre suas pernas, enquanto seu dedo entrava e saia de meu corpo, completamente melado, sem nos importarmos se minha mãe dormia no quarto ao lado. Enquanto forçava seu dedo para dentro de mim tentou beijar-me e eu virei meu rosto. Não, eu não queria aniquilar aquele fogo beijando lábios que não amo e não desejo. Teria de mim sexo e prazer, mas apenas isso. Excitou-me mais um pouco até que gozei em seu dedo, abafando gemidos no braço enquanto mordia a beira da minha camiseta. '

Conversamos mais m pouco até as sete e meia da manhã, quando ele teve que ir embora para o trabalho. Falamos de nós dois, no passado, sempre. Falamos de nossa atual condição de amigos e sorrimos, pensando talvez que a melhor coisa que tenhamos feito um ao outro foi eu terminar com ele. O levo até o elevador, ele me dá um selinho de amigo e parte, deixando em mim nada além de sono.

2 comentários:

Anselmo disse...

Incrível essa sua sutil habilidade de dividir as coisas.
Isso é isso e não deve passar disso.
Inveja.

Tara Flux* disse...

Não dá pra misturar as coisas. Amizade é amizade, namoro é namoro e sexo é sexo. Eu ja havia escrito, ha muito tempo atrás, um texto sobre isso. As três coisas podem coexistir sem estarem misturadas, para evitar conflitos e apurrinhação de saco (o meu, no caso, pois minha paciência com relação a isso é bem pequena).

Inveja? Hahahahaa. Larga de ser besta. Até parece que vc não é assim.

Beeijoselambiidas!

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.