L.A.P.A

Depois de olhares trocados eu finalmente resolvi chegar nele. Mas Deus, como fazer isso? Nunca havia chegado em um homem antes, não sabia nem como fazer isso. Peguei meu celular, tomei coragem e fui. "Oi, com licença?" Ele estava sentado com a cabeça abaixada, mexendo no celular. "Oi, pode falar!" Saí pedindo logo o telefone e ele deu antes mesmo de saber meu nome e eu o dele. Ele deu e assim começamos a conversar. Quarenta minutos de conversa e eu fui embora. Facebook trocados, telefones trocados e os olhares, ai, os olhares. 

Ficamos conversando por alguns dias pela internet e por SMS até que decidimos nos encontrar no mesmo local onde nos conhecemos. Lapa. O centro da bohemia, a mistura de tudo o que presta e o que não presta, um dos locais que despertam em mim um tesão pelo desconhecido. Barzinho, beijos trocados. Boca macia, mãos firmes, do jeito que o pecado gosta. Caminhamos em direção à rua do Reggae. Quem conhece, sabe. É uma rua onde tem a mistura das tribos de reggae, rap e samba. Tudo lá é "legalizado", lá tudo é liberado. Ouvimos um som, encontramos alguns amigos e descemos pelos Arcos meio sem rumo. E quando passamos bem embaixo dos Arcos ele me empurrou na parede e me beijou. Aquele beijo forte, quente, cheio de tesão. Pude sentir aquele pau ficando duro sob a calça jeans e ao mesmo tempo minha calcinha ficar completamente molhada. 

Mordeu meu pescoço, passou a mão em minhas coxas. Sexta-feira a Lapa lotada e nós dois nos agarrando sob os Arcos. Decidimos ir embora para um local mais apropriado. Entramos, pegamos a chave e subimos. As roupas já ficaram pelo caminho. As mãos percorriam os corpos, os beijos eram cada vez mais cheios de vontade e o desejo era incontrolável. Entrei no banho e ele veio atrás já me agarrando por trás, passando as mãos em meus seios. A água caía e nossos corpos estavam colados um ao outro. Tomamos banho em meio a beijos, mãos e bocas e depois voltamos para o quarto. 

Colocou-me de quatro com as pernas meio abertas e foi lambendo devagar, chupando, enfiando o dedo. Desespero era pouco para o que eu sentia. Eu queria aquele pau dentro de mim, aquela lingua nos meus seios. Queria gozar com força, com vontade no pau dele enquanto ele me beijava. E depois de me chupar com vontade por um tempo, me chamou para colocar a camisinha nele. Coloquei com a boca, olhando bem praquele pau e depois aquele corpo negro todo gostoso. Pediu que eu ficasse de quatro para ele de novo e foi escorregando para dentro de mim. Eu gemi baixinho enquanto ele escorregava e estocava fundo dentro de mim. Eu rebolava e ele colocava. Gemia, apertava minha bunda e segurava minha cintura. Gozei pela primeira vez na noite. Como é gostoso dar e gozar de quatro. As mãos dele segurando meus seios, a pica fundo dentro de mim e meu corpo tremendo com a intensidade do gozo. 

Virou meu corpo e veio por cima, segurando meus joelhos, olhando para mim e sorrindo. Às vezes falando putarias deliciosas e o quanto eu era gostosa. Ficou assim um tempo e veio de ladinho, me segurando com os dois braços pela cintura. Ali eu gozava de novo. Um gozo calmo, não muito intenso, mas daqueles que parece que vou derreter. 

Cada vez que eu gozava o tesão dele aumentava e eu podia ver o sorriso dele pelo espelho no teto. Pedi que ele parasse de se mexer e comecei a comandar. Rebolei devagar, forte e com ritmo. Ele gemia cada vez mais forte e eu rebolava cada vez mais fundo. Assim ele gozou. De ladinho, comigo comandando, nariz no meu pescoço e corpos colados. Delicioso. 

E olha que a noite estava só começando, hein...

Beijoselambiidas, Flux!

Ah, roubei as fotos, pra variar, da Nega GOSTOSA do DESEJOS INSANOS.


Um comentário:

Daniel disse...

Que tesão que eu fico com teus contos... ô vontade!

Imagens de tema por sebastian-julian. Tecnologia do Blogger.