Já fazia algum tempo que eu queria retornar com as entrevistas de leitores porque eu sou muuuuuito curiosa e adoro saber das vontades alheias. Então aí está mais uma pra vocês sentirem um tesãozinho gostoso junto comigo. 

Nome: Cris
Idade: 25 anos
Estado Civil: Solteira

O que é mais importante e gostoso no sexo para você? As preliminares, o clima de intimidade ou sexo oral ou a penetração em si? 

Tudo isso é muito gostoso, mas pra mim a intimidade torna qualquer uma dessas outras coisas muito mais gostosinhas. Estar e sentir a pessoa solta, fazendo o que gosta, sendo o que é não tem comparação.

Qual foi a sua melhor experiência sexual? 

Eita pergunta difícil! As melhores experiências sexuais que tive aconteceram quando fomos pegando intimidade. Escolher uma é difícil, vou falar de duas. A primeira aconteceu quando fui vendada e brincaram comigo. Parece que sem ver, você enxerga muito mais. Fica tudo mais intenso, seja no toque da pessoa no seu corpo ou o seu no corpo dela. Lembro que uma das coisas que mais me assustou foi ela rebolando com a buceta na minha mão e gemendo. Foi muito diferente de sentir aquilo sem a venda. E fazer isso com ela foi também sensacional. Ver a pessoa ali, vendada, significa que confia muito em você. Poder explorar cada parte do corpo dela, vendo e sentindo cada reação ao seu toque, seu beijo, seu gemido é uma experiência absurda. O corpo tremendo, a pele arrepiando, os sussurros cada vez mais descompassados, as mãos puxando os lençóis... é um dar e receber muito gostoso de ver.

A segunda experiência foi talvez o orgasmo mais intenso que tive. Eu estava um tempo sem vê-la. Por compromissos que tomavam quase todo meu tempo, por morarmos longe uma da outra. A vontade já era algo que só crescia a cada vez que a gente se via. Já era normal querer descer do ônibus na mesma hora que ele virava a esquina da casa dela quando voltava pra minha. Mas passar tanto tempo assim longe era quase tortura. E finalmente nos vimos. Aquela cerveja com amigos, aquela troca de olhares que ficavam cada vez mais intensos quanto mais a cerveja ia subindo a cabeça. Era aquela roçada quando uma se levantava para ir ao banheiro, era aquela passada mais firme no cabelo quando ninguém estava vendo. Amávamos estar com nossos amigos? Obvio. Mas estava ficando impossível não querer tirar a sua roupa ali mesmo. E assim se deu, quase não conseguimos esperar entrar na casa dela. De cara ela já me jogou na cama, abaixou meu short e senti seus dedos deslizando dentro de mim. Ela falava no meu ouvido “caralho, você está melando minha mão toda”. Não era pra menos, eu já estava cheia de tesão desde antes de encontra-la. Com meu quadril joguei seu corpo sobre a cama e levantei seu vestido. Rebolei tão firme com a minha buceta na buceta dela que só nós podemos dizer o final dessa história. Sei que o dia clareou, a hora do almoço chegou e só paramos porque saco vazio não para em pé. Sei que os três dias que fiquei lá, ela não saia de dentro de mim, nem eu de dentro dela. Seja no sexo, seja nos olhares que trocamos.

E a pior? 

As piores experiências que tive no sexo foram as vezes que me forcei a transar, digo principalmente com homens, pra provar primeiramente pra mim mesma que eu era normal, de que eu era capaz daquilo. E o mais doloroso foi perceber que pra eles tanto faz se eu estava bem ali. Não digo que isso seja obrigação, mas faz diferença.

O que nunca faria no sexo? E o que mais tem vontade de fazer (pode ser que ja tenha feito): 

Ainda não encontrei algo que não faria no sexo, sou bem aberta a experiências. Tenho vontade de fazer muitas coisas rs. Usar cintaralho, por exemplo, é uma curiosidade que tenho. Ser amarrada e/ou amarrar alguém também é um tesão que ainda não concretizei.

Conte-nos uma situação engraçada e uma estranha que tenha acontecido no sexo com você.

Lembro que já achei muito engraçado a forma com que um cara metia. No geral eu achava um pouco engraçado as reações de alguns caras. As vezes parecia que eles estavam tão presos no padrão masculino que não permitiam se solta totalmente. Não lembro de alguma situação que eu considere “estranha”.

Qual sua experiência sexual mais marcante? Independente de ter sido boa ou ruim, qual será aquela que você lembrará por toda a sua vida?

Nossa, essa aqui é difícil, hein. Tenho algumas que sei que vou levar pra sempre, mas vou falar de uma pra não encher vocês de histórias rs. A cena é a seguinte: primeiro encontro, um amigo meu conhecia um amigo dela que nos apresentou. Um vinho, conversa vai, conversa vem, aquele beijo tão esperado. Aquele olhar que quer dizer algo, aquela admiração uma pela outra que já surgia. Chuva. Ninguém queria ir pra casa. Fomos todos pra um estacionamento, chovendo muito, sinto meu corpo congelando de frio já, arrumamos umas cangas pra sentarmos no chão do lado de um carro e ali tudo aconteceu. Do lado de um carro, ela em cima de mim, gemendo baixinho. Nossos corpos colados, quentes, os amigos na frente do carro conversando e a gente ali. Já não sentia o cheiro de borracha do pneu. A chuva vinha como plano de fundo, tornando o momento cada vez intimo. Frio já não existe, arrepio apenas por conta na minha boca explorando o corpo dela, da mão dela arranhando minhas costas. No estacionamento, do lado de um carro.
Outra experiência que marcou foi sair com um cara que não seguia os padrões que eu estava acostumada nas experiências heterossexuais que tive. O que era ótimo. O cara explorava o corpo para além de “pau na buceta, buceta no pau”. Inclusive a penetração não era o “prato principal” do sexo. Não to dizendo que eu não ame penetração, to dizendo que ele não fazia todas as outras coisas possíveis apenas para penetrar. Pelo menos foi o que senti.

Gosta de se masturbar? Com o que se masturba?  

Sim. Normalmente uso só o corpo e a imaginação.

Já teve alguma experiência com pessoas do mesmo sexo? Como foi e o que achou? 

Já e nunca mais quis outra coisa rs. Eu acreditava ser hetero, mas me apaixonei. E mesmo com todas as ideias que incorporei ao longo da vida de que aquilo era proibido, o amor que senti por aquela mulher foi mais forte. Precisava de coragem para dar o primeiro passo, o que foi bem difícil, mas depois do primeiro beijo não tinha como voltar atrás, coragem não era mais uma questão: eu me tornei coragem. No mesmo dia do primeiro beijo fomos pra cama. E nossa, no beijo, no toque, no olhar, nas confissões trocadas, na forma que ela como mulher podia entender e sentir tudo aquilo como eu. Era só eu e ela. Não quis mais saber de outra coisa.

Já broxou? Como lidou com isso? (Caso não tenha acontecido, como acha que lidaria?)

Já. É foda se manter ali quando broxa, né. Na época eu busquei tornar a experiência prazerosa pra pessoa mesmo que eu já não tivesse mais conectada de certa forma. Hoje acredito que faria diferente.

Você tem algum tabu sexual? 
Acho que não.

Sex shops: gosta de brinquedinhos? Qual foi o melhor que você já usou?
Ainda não usei nenhum, mas é algo que eu tenho desejado muito explorar ultimamente.

Qual foi o fetiche mais diferente que algum parceiro seu já te contou e você topou realizar?
Não sei se são exatamente diferentes, mas... Fiquei com um homem uma vez que tinha uma tara muito grande em pés. E ai era pé pra tudo que é lado, era pé no peito dele, era pé no pau, era ele chupando os pés, era pé nas costas. Foi maneiro explorar essa parte do corpo que até então não tinha atentado.
Uma segunda tara que topei foi o tal do Lap Dance. Uma parceira tinha essa vontade e foi uma experiência bem marcante na história da minha vida sexual. Porque acho que primeiramente você tem que ter noção do seu corpo e sensualidade pra partir pro outro. Novas posições surgiram disso. E esse processo de cada vez mais entender o que gostamos ou não no sexo também tem muito desse momento. Bem maneiro mesmo.

Já ficou excitado com alguma situação cotidiana?

Ai, gente, todas! rs. Eu inclusive tenho o hábito de ficar imaginando cenas sexuais cotidianas quando tô na rotina.

Sexo anal ou vaginal?

Os dois.

Goza gemendo, gritando, em silêncio?

Gemendo ou gritando dependendo muito da situação. Mas geralmente gemendo.

Onde você prefere gozar? 

Sincero? Gosto muito de gozar quando to rebolando em cima dela.

Prefere mulher que geme alto ou baixinho no ouvido? 

Nossa, não tem como mesmo fazer essa escolha. As duas opções me fazem tremer na base.

Já pagou para ter sexo? 
Não.

Já fez sexo para obter alguma coisa em troca? Se sim, faria de novo?  
Não.

O que prefere: uma chupada nervosa ou uma cavalgada rebolativa? 

Uma cavalgada rebolativa.

Já fez sexo com mais de uma pessoa ao mesmo tempo? Conte-nos:]

Sim. Algumas vezes. Todas as vezes que tive essa experiência aconteceu entre eu, uma mulher e um homem. Confesso que no começo fiquei um pouco receosa de não saber onde “me encaixar”. Mas fluiu tudo muito tranquilamente. Engraçado foi que a mulher que participou tentou organizar tudo como aconteceria antes. “Primeiro eu te chupo e ele mete em mim de quatro, depois você chupa ele enquanto a gente se beija, depois nos dois te chupamos, um na frente e outro atrás”. Mas na hora H as coisas aconteceram como tiveram que acontecer. Curioso também foi ver no mesmo momento as reações e atitude dele como homem e dela como mulher, como são diferentes e iguais em alguns momentos. Tiveram sim os momentos em que dois estavam fudendo e um olhando fumando um cigarro, mas isso aconteceu também de maneira bem natural.

O que acha do blog Secrets Reveries? Nos dê uma sugestão para melhorá-lo ainda mais.

Eu adoro ler o blog. A pessoa que o escreve tem uma sensibilidade muito forte pros detalhes, seja no toque, no cheiro, nos sons. Se a gente se deixa levar, entra completamente no clima proposto, sente cada situação. É realmente impressionante como podemos ser conduzidos por cada história contada. Sugestão? Escreva mais e mais! Rs. Adorei os contos que conta como foi gozar sozinha, acho um tema bem foda de ser explorado.

Mande seu recadinho para os leitores e leitoras do blog:


Se deixe ser levada/o por cada conto. Vale muito a pena e é uma experiência sexual incrível. Vai te abrir um mundo de sensações e quem sabe você não descobre um novo fetiche, né? E que isso sirva também a sua vida afetiva-sexual para além do blog: Se permita viver! Sexualidade parece bobeira, mas é vida, é impulso, é forma de estar no mundo.

Nenhum comentário:

Prazer indescritível ter vocês aqui, mas antes de ir, conte-me seus segredos.

Tecnologia do Blogger.