À "Menina Safada"

A "Menina Safada" perguntou quais conselhos daríamos pra uma menina safada que sente " a vagina pulsar e latejar faminta por tudo o que só uma boa foda pode dar". 

Isso ficou na minha cabeça batendo firme. Voltei a mim mesma de anos atrás e me perguntei o que, sexualmente, eu daria de conselho quando comecei a me relacionar e me entender gente. Sim, me entender - ou achar que - me entendia gente para nós mulheres é construído muito firme com a perda da virgindade. A partir daquele momento assumimos que já estamos nos responsabilizando com a possibilidade de gerar uma vida e isso é machista pra caralho. É construído de uma forma para parecer que é apertar um botão: meteu, virou mulher. E eu segui pensando nisso, fortalecendo ainda mais a minha certeza de que não é assim de absolutamente jeito nenhum. 

Mas a mulher de hoje olhasse para e menina de 14 anos quando ela começou (+/-) a se relacionar, quais conselhos eu ofertaria?

Primeiro eu diria pra ela que ser mulher pode ser nossa maior benção, mas também pode ser nossa maior maldição. E é exatamente esse o centro do nosso poder que gera a vida. Nós temos o poder de criar, mas também temos de destruir. O sexo, ainda hoje, é usado como forma de nos destruir e a única forma de lidar com isso é se apossando do seu corpo e aceitando que é um ser sexual. Talvez seja a vingança dos homens pela natureza ter nos dado orgasmos múltiplos, vai saber? Mas o quanto antes você se apropriar disso, mais intenso e forte seu prazer se tornará.


Deixe a luz apagada e a janela aberta. Coloque um espelho grande de frente pra si, deite nua na cama e abra bem as pernas. Sinta a brisa lambendo seus poros e acordando o ser interno que precisa ser saciado.  Sente o bico dos seios ficando duros, olhe-se no espelho, se deseje, se entregue. Faça o compromisso consigo mesma de que ninguém vai lhe dar o prazer que você é capaz de dar a si mesma. (Isso vai ser útil pra você, no futuro, não ficar refém de pica que não vale nada)

Pelo menos uma vez, se relacione com uma mulher. Livre-se dos rótulos e se permita simplesmente aproveitar cada terminação nervosa que seu corpo tem sem se preocupar com a opinão alheia. Permita-se desejar independente de. Roce uma boceta na outra com vontade e sinta o toque sublime que uma mulher pode nos proporcionar.

Nunca, nunca, nunca, em hipótese alguma finja orgasmo ou se relacione sem ter 100% de certeza de que aquela é a sua vontade naquele momento. Fingir orgasmo só serve para acumular frustração e criar falsas expectativas em alguém que está dividindo um momento de intimidade com você. Trepar com alguém na dúvida já é o peso necessário para você não fazer. Sexo é algo que depois que acontece não dá pra voltar atrás. Você não desbeija na boca, ou volta a ser como se a outra pessoa não tivesse penetrado na parte mais íntima do seu corpo.

Explore seu cuzinho. Sim, isso mesmo. Eu acho que já contei aqui que quando eu tinha (acho que) 14 anos eu fiz um pacto com uma amiga de que nós nunca daríamos o cu. Por que? Não faço a mínima ideia. Talvez por adolescentes sejam retardados. Principalmente porque eu me tocava e tinha certeza absoluta que aquilo me dava algum prazer. Logo, sexo anal também deveria ser bom. Mas ela propôs, eu fui na dela e assim fiquei até os 21 (eu já contei sobre a primeira vez AQUI ) sem saber o quão forte pode ser um orgasmo através do sexo anal Com pau especificamente).

Brinque com o seu corpo para além das zonas erógenas. Deixe que lambam os dedos dos seus pés enquanto metem a pica fundo em você. Há algo de poderoso nisso que me gera um prazer extremo. Enlouquecedor. Toda mulher deveria ser fodida assim pelo menos uma vez na vida.

Mas, sobretudo, o que eu diria a ela é que se respeite. Não apenas seu corpo, mas também sua mente e seu coração. Respeite suas vontades, seus desejos, suas gozadas. Respeite seu ventre. Isso envolve desde não aceitar não ser satisfeita até reafirmar que não é não. E goza. Goza como se não houvesse amanhã. Goza como se você fosse livre, porque no fundo, você é. E somos todas, dentro de nós. Goza estropiada com o coração seguro e a cabeça voando. Esse é o segredo pesado que levamos no ventre e só a natureza entende. Orgasmos múltiplos é nosso por direito. Aproveite!

E leia Amêndoa.

"Mas o matuto não sabe o que eu sei. Que só se trepa bem por amor, nunca por dinheiro e que o resto é só desempenho. Amar e viver sem meio-termo. Amar e nunca baixar os olhos. Amar e perder no jogo. E, estropiada, aceitar a trepada sirva de forro quando o coração cai do topo da lona e não há rede nenhuma para protegê-lo. Se quebrar toda e aceitar viver desconjuntada. Já que a cabeça está salva..."

Amêndoa - Nedjma" 

2 comentários:

  1. Que texto foda, que texto maravilhoso... estou pensando em fechar os comentários para homens, só escrevem babaquices. É por textos e interações como essa que fiz o blog. Obrigada. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, lindona! Que bom que gostou. Obrigada pela inspiração.
      De fato, tem muitos homens inconvenientes, mesmo. Confundem esses espaços com anúncio de sexo fácil e acham que vão sair pegando todo mundo através das caixas de comentários, rs.
      Não se esquente com isso. Faz parte e dê um chega pra lá quando necessário.

      Beijos e volte sempre!

      Excluir

Prazer indescritível ter vocês aqui, mas antes de ir, conte-me seus segredos.

Tecnologia do Blogger.